Pagamento do 13º salário deve injetar R$ 118 bilhões na economia

34

Os cálculos são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese): o pagamento do 13º salário deverá injetar cerca de R$ 118 bilhões na economia brasileira, ou aproximadamente 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB). A estimativa é de que esse montante atinja 78 milhões de brasileiros, entre trabalhadores do mercado formal, inclusive os empregados domésticos e beneficiários da Previdência Social, aposentados e beneficiários de pensão da União e dos estados.


Segundo o Dieese, dos 78 milhões de brasileiros que devem ser beneficiados pelo pagamento do 13º salário, 29,7 milhões ou 38,1% do total são aposentados ou pensionistas. Os empregados formais, ou 48,3 milhões de pessoas, correspondem a 61,9 do total. Na distribuição por região, a parcela mais expressiva (51,3%) deve ficar nos estados do Sudeste, onde se concentra também a maior parte dos trabalhadores, aposentados e pensionistas.


Para fazer o cálculo, o Dieese não leva em conta os autônomos, assalariados sem carteira ou pessoas com outras formas de inserção no mercado de trabalho, mesmo que eventualmente recebam algum tipo de abono de fim de ano. Também não é considerado o adiantamento da primeira parcela do 13º salário ao longo do ano.


Leva-se em conta, para a elaboração dessa estimativa, dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho e do Emprego, além de informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e informações do Ministério da Previdência Social e da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).