Palestra marca os 21 anos no Ceará

61

O aumento do salário mínimo, nos moldes que o movimento sindical propõe, chegando a R$ 420,00, deve puxar consigo o reajuste de cerca de 100 pisos salariais, cujos valores variam de R$ 300,00 a R$ 400,00. A informação é do diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Clemente Ganz Lúcio.

Em estudo apresentado pelo Departamento às Centrais Sindicais, como subsídio para a campanha salarial de 2007, ele afirma que o ganho real do salário, durante os quatro anos de governo Lula, foi de 25%, enquanto o ganho nominal chegou a 75%.

O diretor esteve em Fortaleza, no dia 29/11, onde proferiu a palestra “Desenvolvimento e Mercado de Trabalho – Construindo uma agenda sindical positiva”, promovida pelo Dieese e pela Central Única dos Trabalhadores no Estado do Ceará (CUT Ceará), na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará O evento fez parte das comemorações dos 21 anos do Dieese e das mobilizações para a III Marcha Nacional do Salário Mínimo, que acontece no dia 6/12, em Brasília.

De acordo com o diretor do Dieese, aliadas ao ganho real do salário mínimo, a redução e manutenção de preços de alimentos básicos, os 43,7 milhões de brasileiros que ganham um salário tiveram seu poder de compra aumentado. “O governo reduziu os tributos que incidem sobre alimentos como açúcar, feijão, arroz e carne. Também deu incentivos para quem produz gêneros alimentícios. Isso aumentou a oferta, resultando numa queda de preços”, disse.