Paralisação na Gecex Fortaleza mostra resistência à reestruturação

19


Os funcionários da Gerência Regional de Comércio Exterior, do Banco do Brasil em Fortaleza, com a área operacional extinta, fizeram na quarta-feira, dia 26/11, paralisação de duas horas da unidade, como resistência à reestruturação, seguindo orientação da Contraf-CUT. Os trabalhadores do setor informam que a Gecex já está esvaziada, sem operações e que o serviço hoje se resume ao arquivamento de documentos.


Após várias negociações com o BB, as entidades sindicais –Contraf-CUT e Sindicatos, conseguiram o adiamento do prazo da reestruturação para 12 de janeiro. Mas, o processo de reestruturação continua, e para surpresa dos funcionários, muito mais acelerado agora. Em Fortaleza, os funcionários da Gecex lamentam o descaso do banco para com suas vidas e estão preocupados com suas lotações. Segundo denunciam, eles próprios estão “correndo atrás” das suas lotações em outras unidades.


Para o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra, “mais uma vez em paralisação os funcionários do BB, que atuam na Gecex, estão na luta em defesa, não somente dos seus direitos, da sua remuneração, da sua carreira, da sua lotação de trabalho, mas em defesa do Ceará. Lutamos em defesa do desenvolvimento e do apoio aos pequenos e médios empreendedores, que ajudam a fortalecer a renda do nosso estado. Lutamos pelo não esvaziamento da atuação da gerência de comércio exterior local, pois o BB quer concentrar essa atuação no Sul e no Sudeste”.


Buscando apoio – O Sindicato continua na luta contra a extinção do órgão local e conquistou a realização de mais uma audiência pública, desta vez na Assembleia Legislativa, dia 3/12, às 14 horas, por solicitação dos deputados Lula Morais (PCdoB) e Camilo Santana (PT), governador eleito do Ceará, para debater os prejuízos que o fechamento da Gecex causa ao Estado. Do Governador eleito, o Sindicato está cobrando que faça contato com a presidência do BB, no sentido de evitar o encerramento da Gecex na capital cearense, já que este é um dos órgãos importantes para alavancar as exportações e, consequentemente, a economia do Estado.


“Estamos numa trincheira de resistência para proteger o interesse dos trabalhadores e da nossa luta pelo fortalecimento da economia do Estado do Ceará, hoje com forte atuação no comercio exterior, com apoio da Gerência Regional de Apoio de Comércio Exterior do Banco do Brasil. Sua extinção trará prejuízos muito grandes”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará