PARTICIPAÇÃO, UNIDADE E MOBILIZAÇÃO PARA SUPERARMOS OS DESAFIOS DA CAMPANHA NACIONAL 2020

41


José Eduardo Rodrigues Marinho,

presidente em exercício do

Sindicato dos Bancários do Ceará


O pontapé inicial da Campanha Nacional da categoria bancária em 2020 já foi dado. No sábado, 27/6, realizamos nosso Encontro Estadual totalmente virtual, de forma inédita, onde deliberamos sobre as prioridades dos bancários cearenses para este ano.


Antes, a categoria bancária pôde participar e opinar na consulta nacional e elencar os principais temas e desafios para a Campanha deste ano que acontece num cenário extremamente adverso, de pandemia do novo coronavírus e de “desgoverno” Bolsonaro, que só pensa em retirar direitos dos trabalhadores.


Um dos nossos principais desafios deste ano é repensar e fortalecer nossa mobilização num cenário de pandemia. Uma das principais questões é a ultratividade da nossa Convenção, que ainda não está garantida, pois a MP 936, que aborda o assunto, ainda não foi sancionada. Por isso, mesmo em isolamento social, a categoria está sendo chamada a participar dos encontros, congressos e conferências, mesmo de forma remota, para garantir nossa organização e mobilização e garantirmos nossos direitos.


Além de reajuste salarial, Participação nos Lucros e Resultados, vales refeição/alimentação, igualdade de oportunidades, condições de trabalho e demais direitos garantidos na nossa Convenção Coletiva e Acordos Específicos, os bancários reivindicam uma atenção especial à saúde, tanto sanitária como mental. Num cenário de pandemia, é fundamental garantirmos que todos os trabalhadores tenham acesso à saúde, ambiente de trabalho saudável e, aqueles que estejam em home office, tenham seus direitos garantidos.


Desde o início da pandemia, a categoria bancária criou um Comitê de Crise com a Fenaban e vem negociando junto aos bancos condições de saúde e reivindicações dos bancários nesse período. Temos mantido, assim, nossa mobilização e organização, mesmo remotamente, o que tem sido fundamental para garantia de nossos direitos. Precisamos manter essa luta durante a nossa Campanha Nacional, participando das atividades, mesmo virtualmente, e fortalecendo nossa unidade e disposição de luta.


Outra questão que não deve ser esquecida é que não podemos ficar alheios ao debate político. Em 2020, teremos eleições municipais e essa é uma oportunidade para começarmos a virar o jogo a favor da classe trabalhadora. Precisamos nos posicionar e apoiar candidaturas que demonstrem compromisso com a nossa categoria, com os direitos dos trabalhadores, com a pauta dos menos favorecidos.


Como categoria, os bancários têm histórico de mobilização e unidade que foram fundamentais para garantir direitos importantes mesmo em cenários adversos. Pressionamos e retiramos de pauta diversos pontos que pretendiam tirar direitos históricos da categoria, como a jornada de seis horas e o não trabalho aos sábados. Essa mobilização e essa força serão fundamentais também na hora do voto. É preciso criar alternativas para preservar nossos direitos, nossa Convenção Coletiva, nossa organização enquanto categoria. E diante das alternativas a serem apresentadas, é importante priorizar e apoiar quem luta do nosso lado, no dia a dia, quem conhece nosso histórico de luta e nossas prioridades. Não há luta por direitos onde não há democracia.


Enfim, 2020 aponta desafios gigantes, mas estaremos firmes para manter o diálogo, para valorizar a mesa única de negociação, para lutarmos e nos mobilizarmos e construirmos, mais uma vez, uma campanha nacional vitoriosa. Juntos até a vitória!