Participantes da Cabec elegem (novamente) conselheiros e exigem democracia

75

O interventor da Cabec publicou o “novo” estatuto, negociado exclusivamente com o Bradesco, no último dia 10 de agosto. Também publicou o edital para novas eleições na Cabec, na forma do “novo” estatuto, reduzindo a participação dos associados da caixa na gestão a 1/3.

No conselho fiscal de 4 membros, os participantes elegiam 2, agora só 1 (um). No conselho deliberativo de 6, eram eleitos 3, agora somente 2. o quórum para reunião desse conselho, que era de 4, agora é de somente 3.

A indicação do diretor administrativo pelos conselheiros eleitos, recebeu restrições, de modo que só assume se for do agrado do patrocinador.

E o mais grave: fragilizou totalmente a diretoria da Caixa, retirando a estabilidade dos conselheiros e a remuneração de todos.

Agora, quem for gerir o patrimônio da Cabec, com toda a responsabilidade legal e penal, terá que fazê-lo contra as leis do mercado: de graça. Ou melhor, vai pagar para trabalhar.

O “novo” estatuto recebeu cerca de 30 mudanças, quase todas prejudiciais aos interesses dos participantes já garantidos estatutariamente e na legislação pertinente.

Os participantes da Cabec já decidiram o que fazer em assembléia: autorizaram as entidades (Sindicato, Afbec e Afabec) a questionar tais mudanças na justiça, o que já está sendo feito.

Por outro lado, a Cabec não pode ficar totalmente nas mãos do patrocinador Bradesco. Por isso, as entidades sindicais e associações estão apoiando 3 nomes da mais absoluta confiança de todos para serem eleitos para os três cargos disponíveis: 2 conselheiros deliberativos e 1 fiscal.

Os nomes escolhidos por consenso pelo Sindicato, Afbec e Afabec são os dos companheiros Erotildes Teixeira e Zacarias (aposentado) para o Conselho Deliberativo, e Robério Ximenes para o Conselho Fiscal. Esses nomes já foram aprovados na última eleição.
É só votar novamente e confirmar!