Passivos trabalhistas em compasso de espera

34

Três passivos trabalhistas, frutos de ações judiciais ajuizadas contra o BNB e ganhas pelo Sindicato dos Bancários do Ceará, encontram-se em processo de liquidação. As ações de folgas e adicional por tempo de serviço (ATS), cujas propostas de acordo feitas pelo Banco já foram aprovadas em assembleia, esperam apenas o envio ao SEEB/CE da minuta de petição pelo departamento jurídico do Banco, afim de serem encaminhadas para homologação.


“Estranha essa morosidade, pois há um mês os acordos foram aprovados em assembleia e, apesar de toda a vigilância e cobrança feitas pelo Sindicato, somente na última quarta-feira, 2/6, é que o Ambiente de Gestão de Pessoas liberou os termos da proposta de acordo”, questiona Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE.

EQUIPARAÇÃO – A ação de equiparação das funções em comissão do BNB às do Banco do Brasil passa por uma fase ainda mais delicada. Encontra-se parada há mais de dois meses na Diretoria do Banco a espera de uma contraproposta à proposta formalizada pelo Sindicato. “Essa situação é, no mínimo, constrangedora, pois o SEEB/CE obteve o compromisso da Direção do BNB em quitar esse passivo trabalhista e, até o momento, o silêncio tem sido a resposta, colocando-nos em situação bastante difícil juntos aos nossos representados”, desabafou Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE, que coordena as negociações desses passivos trabalhistas com o BNB.


Tomaz informa que estará convocando ainda neste mês de junho uma plenária dos beneficiários da ação, visando traçar novas estratégias no campo jurídico e de mobilização para acelerar o andamento do processo. “Não estamos com isso interrompendo as negociações e esperamos que o Banco compreenda a nossa movimentação como legítima. A qualquer momento que formos chamados pelo BNB estaremos abertos para receber e avaliar propostas para um possível acordo”.