Pauta de reivindicação prioriza demandas funcionais e de saúde e previdência

27


A pauta de reivindicações específicas dos funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) aprovada nos dias 18 e 19 de maio deste ano, durante a realização do XXIV Congresso Nacional dos Funcionários do BNB refletiu o interesse dos trabalhadores na Instituição ao priorizar questões funcionais e de defesa dos Planos de Saúde (CAMED) e Previdência (CAPEF).


Cláusulas relacionadas ao fortalecimento do BNB como Instituição responsável pelo desenvolvimento regional também constam da pauta de reivindicações específicas deste ano, com destaque para o artigo primeiro – Revisão do Plano de Cargos e Remuneração que busca solucionar a estagnação no processo de promoções, que vem ocasionando desmotivação no corpo funcional – e para o artigo sétimo – Realização de Concurso Público.


DEMANDAS FUNCIONAIS – Dos 54 artigos que compõem a pauta deste ano, a maior quantidade se refere a questões funcionais, buscando a melhoria de procedimentos e qualificação dos trabalhadores na Empresa.


Merecem atenção nesse conjunto as cláusulas segunda – que pleiteia melhorias na formação bancária; e quarta – que visa ampliar a atuação da Universidade Corporativa através de convênios com universidades e centros de educação corporativa, possibilitando a criação de cursos de especialização à distância para todos os funcionários.


Ainda nesse campo de formação, a pauta reivindica através do artigo décimo terceiro – custeio integral de cursos de educação formal em universidades e instituições de ensino de pós-graduação.


SAÚDE E PREVIDÊNCIA – Dezessete cláusulas do total de 54 que integram a pauta de reivindicações, referem-se a questões de Saúde e Previdência, demonstrando a preocupação dos funcionários do Banco com os ataques anunciados pelo Governo aos planos de autogestão de saúde e de aposentadoria dos trabalhadores.


O artigo trigésimo nono, por exemplo, reivindica reforma do Estatuto da CAPEF para promover a recomposição dos benefícios do Plano BD. Os baixos valores desses benefícios pagos hoje são responsáveis pela permanência de mais de 1.500 colegas já aposentados pelo INSS, mas sem condições de abrir mão do salário do Banco, obrigando-se a permanecer na ativa para não ver sua remuneração cair pela metade.


Na Cláusula Quinquagésima Terceira fica patente a preocupação dos funcionários com recentes resoluções do CGPAR. Nesse artigo, os colegas reivindicam para novos funcionários e para futuros aposentados a manutenção do plano de saúde da CAMED em igualdade de condições às regras atualmente aplicadas.


“Foram dois dias de intenso debate com a participação de cerca de 100 pessoas, entre delegados e convidados, resultando na aprovação de uma pauta coerente e capaz de, se atendida, proteger os direitos dos funcionários e fortalecer o BNB”.
Tomaz de Aquino, diretor do SEEB/CE e coordenador da CNFBNB