Pesquisa Contraf-CUT/Dieese revela geração de mais empregos nos bancos, mas com salários menores

38

De acordo com levantamento da Pesquisa de Emprego Bancário (PEB), realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), os bancos cearenses geraram somente 87 postos de trabalho de janeiro a setembro deste ano. O desempenho estadual corresponde a apenas 10,3% das vagas criadas pelo setor no Nordeste. O Ceará encontra-se na quinta colocação, entre os estados nordestinos, no ranking do saldo de emprego bancário em 2010, atrás de Bahia (294), Pernambuco (129), Paraíba (98) e Maranhão (95) e empatado com Alagoas (87). Diferença Salarial – De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE), Carlos Eduardo Bezerra Marques, as admissões se caracterizam por ser de mulheres em primeiro emprego, mas ele alerta para a diferença salarial entre gêneros. Na admissão, elas ganham cerca de 37% a menos do que eles. No desligamento, 24% menos. “É uma perversidade com relação ao gênero”, diz. O salário médio dos novos empregados é 40,2% inferior ao dos demitidos. Estes tinham remuneração média de R$ 3.115,45, contra R$ 1.860,38 do salário de contratação.


No País, os bancos criaram 17.067 postos de trabalho entre janeiro e setembro de 2010, quando contrataram 43.719 funcionários e desligaram 26.652. A remuneração média dos admitidos, no entanto, foi 38,28% inferior à dos trabalhadores que saíram das instituições. “A geração de novos postos de trabalho no setor financeiro é uma boa notícia para a categoria bancária, que nas campanhas nacionais dos últimos anos tem a defesa do emprego como uma de suas principais bandeiras”, avalia Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.


O saldo positivo nos primeiros nove meses do ano deste ano contrasta com o do mesmo período de 2009, quando foram fechados 2.076 postos. A região Sudeste apresentou o melhor desempenho, com a criação de 11.594 vagas, enquanto a Região Norte teve o menor resultado positivo (687). Em segundo lugar aparece o Sul, com 2.528, e depois o Centro-Oeste (1.413) e Nordeste (845).