Plenária nacional define contraproposta dos empregados para PCS

44

Dirigentes sindicais de todo o País estiveram reunidos na última sexta-feira, dia 16/5, em Brasília, na Plenária Nacional dos empregados da Caixa Econômica Federal.


O encontro formulou a contra-proposta dos bancários para a unificação das tabelas do PCS do banco. A Caixa apresentou sua proposta finalizada na última negociação com os bancários, no dia 30/4.


Os trabalhadores rejeitaram a vinculação da migração para o novo PCS à não participação no Reg/Replan, prevista na proposta do banco. Outra discordância é o número de níveis da tabela. Os empregados defenderão a criação de uma tabela com 36 níveis, enquanto o banco trabalha com uma tabela de 72 níveis.


Os bancários também firmaram posição contrária ao estabelecimento de limite de 1% da folha para promoções colocado pelo banco. No caso da promoção por merecimento, os sindicalistas defendem também que seja concedido pelo menos um e no máximo dois deltas por ano. A plenária estabeleceu piso de R$ 1.244,00 e teto de R$ 3.700,00 para a proposta dos empregados. Outro ponto é a inclusão dos Técnicos Bancários Superiores (TBS) na nova tabela.


Calendário – Entre os dias 19 e 29/5, as entidades sindicais realizarão debates e mobilizações com a base para discutir a contraproposta dos trabalhadores.


No dia 30/5, o documento dos empregados será entregue à Caixa. Ficou definido também o dia 4/6 como Dia Nacional de Lutas pelo PCS, com mobilizações, atos e protestos em todo o Brasil. Os trabalhadores estabeleceram o dia 19/6 como data limite para o retorno da Caixa em relação às propostas apresentadas.


Depois disso, as entidades sindicais realizarão, no dia 26/6, assembléias para avaliar a proposta final e decidir por sua aprovação ou não. No dia 28/6 será realizada uma nova plenária nacional, caso a proposta de PCS ainda não esteja fechada.