PLR deve ser paga até sexta-feira, dia 26/10

62

Assinado o acordo de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) entre a Contraf-CUT, Sindicatos e a Fenaban na última quinta-feira, dia 18/10. Com isso, as empresas têm de fazer os créditos da primeira parcela até o dia 26 deste mês. A demora da assinatura ocorreu por divergências na redação do documento, especialmente na maneira de apurar o lucro. “Trabalhamos, sim, no sentido de agilizar a assinatura do aditivo da PLR, para que os bancários recebessem o quanto antes a sua Participação nos Lucros e Resultados a que têm direito”, disse Marcos Saraiva, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, que participou do Comando Nacional, nas negociações da Campanha 2007.

Regra básica – As cláusulas negociadas na Campanha Nacional deste ano prevêem pagamento de 80% do salário mais valor fixo de R$ 878,00 na regra básica (teto de R$ 5.826,00). Os bancos que ao calcularem a distribuição da PLR não atingirem 5% do lucro líquido devem aumentar esse valor até chegar a dois salários, com teto de R$ 11.652,00. A este montante será acrescido adicional à PLR de até R$ 1.800,00, dependendo do crescimento do lucro de cada banco. Sobre essa parcela adicional não haverá desconto de programas próprios de remuneração.


A assinatura do acordo aconteceu somente no dia 18/10 porque existiam divergências no texto a ser assinado. Uma das principais é na maneira de apurar lucro. Em 2006 estabeleceu-se em acordo aditivo a exclusão de despesas extraordinárias com a compra de empresas. Essa regra garantiu em alguns bancos como Bradesco e Itaú que fossem pagos dois salários de PLR.


Excepcionalmente para este ano, Bradesco, Itaú, Unibanco e Santander adotarão a mesma lógica. Ou seja, para a apuração do lucro serão excluídas as receitas e despesas extraordinárias, mas com a garantia de que nesses bancos, independentemente dos resultados até o final do ano, os bancários receberão, no mínimo, o mesmo que no ano passado corrigido em 6%.


Outro banco que descontará eventos extraordinários será o HSBC, que teve participação na venda da Serasa, garantindo assim na antecipação da primeira parcela da PLR o pagamento adicional de R$ 600,00 além da regra básica.