Política de valorização do salário mínimo é inédita no Brasil

19

Entre 2002 e 2009, de acordo com Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o aumento de 53,67% no valor do salário mínimo e a estabilização na distribuição de reajustes salariais acima da inflação, a partir de 2004, só foram possíveis graças à continuidade da política de valorização do salário mínimo no País.


Para o Dieese, no caso do aumento real no valor do salário mínimo, é a primeira vez que há no Brasil uma política que o estabilizou, acrescentando: “no Plano Real, o salário mínimo chegou a dobrar de valor, mas como não houve continuidade, ele acabou estagnado. Agora não, o que se vê é a sua valorização constante”.


Ao apontar como fenômenos correlatos o fortalecimento do poder de negociação dos sindicatos e a boa evolução do salário mínimo, o Dieese destaca como positivo o fato de que, no ano passado, 79,9% dos mais de 200 acordos salariais acompanhados pelo órgão em todo o Brasil terem sido fechados com reajustes acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Outros números: desde 2005, mais de 70% dos acordos coletivos são realizados com ganho real para o trabalhador.