Ponto eletrônico e plano de funções avançam, mas plano CV continua emperrado

19

Implantação do ponto eletrônico, plano de funções e novo plano de previdência da Capef foram os principais temas abordados na última rodada de negociação da mesa permanente realizada entre a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) e a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco. A reunião aconteceu na quinta-feira, dia 29/5, na sede administrativa do Passaré e revelou avanços quanto aos dois primeiros itens, mas o plano CV continua emperrado no DEST.


A CNFBNB/Contraf-CUT cobrou mais uma vez a implantação do ponto eletrônico em todas as unidades do banco. Diante da cobrança, o banco forneceu o calendário de implantação: até o dia 16/6 o sistema deve ser implantado em todas as unidades, no entanto, a princípio funcionará paralelamente à folha de ponto individual. A segunda fase começará no início do mês de julho, quando os gestores serão orientados a resolver as pendências que existirem no ponto dos funcionários. A terceira e última fase deve iniciar no início de agosto, quando a implementação será finalizada. Um termo de ajuste deve ser assinado no início de junho para garantir a implantação. “Solicitamos ao banco que nos envie a minuta do acordo definitivo para ser examinada pelas entidades representativas antes da assinatura do termo de ajuste para que não paire nenhuma dúvida a respeito do novo mecanismo”, informou o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino.


Quanto ao Plano de Funções, a Comissão reivindicou que o banco apresentasse a proposta final do plano. Além disso, cobrou que essa proposta fosse disponibilizada também para apreciação do funcionalismo. A Super DH informou que deve realizar a apresentação às entidades após o dia 10/6, quando receberá os pareceres do financeiro e do jurídico do banco.


Com relação às substituições, a CNFBNB/Contraf-CUT solicitou a lista de todos os funcionários que estão substituindo funções há mais de seis meses, bem como a lista de todos os novos funcionários que ainda não realizaram o curso de formação de bancários, pré-requesito, segundo o banco, para a efetivação em comissões. Por fim, a Comissão solicitou a prorrogação por mais 45 dias dos trabalhos do GT Camed, devido não ter sido possível concluir no prazo anteriormente pactuado.