Ponto eletrônico inibirá extrapolação da jornada

56

Na sexta-feira, dia 29/6, o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) apresentou às entidades dos funcionários as especificidades do sistema computadorizado do projeto piloto do ponto eletrônico.


O sistema deve ser ativado a partir do computador de uso do funcionário e deve registrar os horários de entrada e saída. O sistema deve indisponibilizar todas as ferramentas operacionais de trabalho após o registro de saída. Além disso, deverá trabalhar com um relógio servidor centralizado e a ferramenta deve ser capaz de trabalhar com horários flexíveis.


No início do expediente, o sistema mostrará o registro do ponto fechado do dia anterior para a confirmação do funcionário e deve ainda possibilitar a extensão da carga horária de cada funcionário. Assim, o sistema deve apurar automaticamente as horas trabalhadas, horas-extras, atrasos, faltas, saídas antecipadas, adicional noturno e descanso semanal remunerado com conseqüente geração de eventos para a folha de pagamento.


O BNB não tem um prazo definido para implantação do ponto eletrônico devido à necessidade de integração de todos os sistemas da instituição. No entanto, o acordo coletivo definiu que o ponto deve ser implantado, ao menos em fase de teste, ainda em 2007. “É importante destacar também que todas as especificações apresentadas são possibilidades do projeto e só serão realmente implementadas após serem discutidas com as entidades”, afirmou o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e diretor do SEEB/CE, Tomaz de Aquino.


Além de Tomaz, participaram da apresentação Dorisval de Lima (AFBNB) e pelo banco, a chefe do ambiente de Gestão de Pessoas, Luísa Barbosa, o técnico responsável pelo projeto, Vicente Adelsson e o funcionário José Moura.