Ponto eletrônico no BNB vai ser instalado até o final de maio

24

Foto: Drawlio JocaA Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) reuniu-se com a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco nos dias 8 e 9/4 para discutir os passivos trabalhistas do funcionalismo, instalação do ponto eletrônico, promoções do PCR, Plano de Funções, Camed/Capef, entre outros temas.


Com relação a ação de equiparação das comissões ficou agendada nova negociação para 7/5, quando o banco deverá apresentar posicionamento sobre a notificação judicial que recebeu no último dia 8/4.


A CNFBNB/Contraf-CUT cobrou uma data-limite para a instalação definitiva do ponto eletrônico em todas as agências. O banco informou que até o final de maio, todas as unidades devem estar com os sistemas instalados.


Quanto às promoções do PCR (tempo de serviço e merecimento), a superintendência informou que até meados de maio deve sair a lista dos promovidos de 2008. No próximo dia 18/4 serão divulgadas para o e-mail dos funcionários as regras para concorrer às promoções e no dia 22 sai a lista dos elegíveis. A expectativa do banco é que as promoções já sejam incorporadas na folha de maio.


Sobre o Plano de Função, a CNFBNB/Contraf-CUT cobrou resposta sobre a proposta de retroatividade a 1º/9/2007. O banco disse ser inviável por um período que considera longo, mas comprometeu-se a apresentar uma contraproposta na próxima negociação.


Com relação ao Plano CV da Capef, confirmou-se a informação que o plano saiu do DEST e encontra-se agora na Secretaria de Previdência Complementar (SPC). Quanto à Camed, o banco indicou um representante da área financeira para participar do grupo de trabalho, que realizou sua terceira reunião no dia 10/4. Em breve o GT deve disponibilizar um canal para receber sugestões dos funcionários.


A Comissão Nacional reivindicou ainda a redução da taxa dos juros do CDC. A Comissão pediu também a isenção de tarifas para funcionários ativos e aposentados. O banco ficou de analisar a viabilidade dessas concessões.


A próxima reunião da mesa permanente de negociação ficou marcada para o próximo dia 15/5, em local ainda a ser definido.

SUBSTITUIÇÕES – A CNFBNB/Contraf-CUT cobrou mais uma vez uma resposta do banco para os casos de substituições há mais de seis meses que não foram efetivadas. O banco ficou de analisar os casos que existem hoje no BNB. A Comissão reivindicou também que o banco estenda o subsídio da educação corporativa aos funcionários que desejam fazer uma segunda graduação.

Teto de 9% reduz PLR dos funcionários do BNB


A definição pela direção do BNB/DEST de um teto de 9% do lucro líquido do banco para pagamento da PLR ocasionou a redução da parte variável do benefício para todos os funcionários, que receberam apenas 71,1% dos 80% do salário bruto que teriam direito pela Convenção da Fenaban.


A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) sempre discordou dessa limitação por entender que constitui tratamento discriminatório em relação ao concedido aos funcionários dos demais bancos, exceto BASA, cuja PLR ainda está indefinida.


Durante a reunião realizada no último dia 9/4 com a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco, o coordenador da CNFBNB, Tomaz de Aquino, ressaltou que as entidades não vão aceitar este ano que os funcionários do BNB recebam uma PLR menor do que a do restante da categoria. Para isso, precisará contar com o apoio de todos nas lutas que se fizerem necessárias.


Para Tomaz, um dos problemas do acordo da PLR é a sua assinatura antes de se conhecer o lucro líquido final do banco. “Isso ocorre por pressão dos próprios funcionários que querem receber parte do benefício antecipado. Este ano não podemos, por conta dessa antecipação, repetir o erro, pois assim ficamos sem condição de lutar por alternativas que compensem possíveis perdas’, concluiu Tomaz.


No quadro abaixo, o bancário vai poder verificar como foi o pagamento da PLR 2007 no BNB, considerando o total do benefício (parte fixa + parte variável).


Considerando a PLR total, vê-se que pelo quadro, 3.714 (62,3%) dos beneficiados receberam valor superior a 80% de uma remuneração bruta. Quanto aos 2.245 beneficiados que faltam para completar o universo de 5.959, não dá para saber quantos tiveram PLR total inferior a 80% de uma R.B., tendo em vista que no BNB, diferentemente dos outros bancos, as entidades conseguiram retirar o teto para o benefício.