PORQUE VOTAR SIM NA PROPOSTA ESTATUTÁRIA DA CASSI

31


Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará


Até o próximo dia 27 de maio, os funcionários do Banco do Brasil têm um importante compromisso. Nesse período está acontecendo a votação da proposta de reforma estatutária da Cassi, a Caixa de Assistência dos funcionários do BB.


A proposta prevê mudança de custeio do Plano de Associados, além de medidas de aprimoramento da governança e da gestão da instituição. O associado poderá registrar o voto no site e aplicativo da Cassi, nos terminais de autoatendimento do Banco do Brasil e, para funcionários da ativa, existe ainda a opção de votar pelo SisBB.


Após um longo período de negociação, o Banco do Brasil teve de abrir mão de sua intransigência e avançar em relação à proposta rejeitada pelos associados em 2018 nos seguintes pontos: manteve a relação contributiva 60% a 40%, por meio da contribuição de 3% sobre cada dependente dos ativos e do pagamento da taxa de administração; aceitou a inclusão dos novos funcionários no Plano de Associados; abriu mão do voto de minerva na diretoria em questões cruciais, mantendo somente para algumas questões operacionais que não alteram direitos dos associados; acatou a cobrança por dependente vinculada ao salário, protegendo os associados de futuros aumentos superiores aos reajustes salariais.


Na proposta, o princípio fundamental do custeio da Cassi, a solidariedade, foi mantido, de maneira que todos os associados e seus dependentes tenham o mesmo atendimento, independentemente de sua situação funcional.


As entidades representativas aceitaram levar à consulta do Corpo Social após o banco anunciar que esta é a última proposta e não aceita qualquer mudança no seu conteúdo. Dada a situação financeira da Cassi, de déficit de R$ 351 milhões e patrimônio líquido negativo no Plano Associados causados principalmente pela chamada inflação médica, a alternativa seria uma intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), com desfecho imprevisível. A partir daí, o Sindicato dos Bancários do Ceará, assim como a Contraf-CUT, indicam sua aprovação.


Indicamos o voto ‘Sim’ em uma conjuntura de ameaça de privatização e de ataques aos direitos da classe trabalhadora. A proposta mantém a solidariedade, evita o voto de decisão no conselho, o banco põe mais recursos, evita-se o risco de o banco vender a carteira da Cassi para o mercado. E ainda incluímos os funcionários do último concurso que estão sem Cassi.


A participação de todos na votação é muito importante porque além de demonstrar nossa responsabilidade com a Cassi, ainda contribui para que o processo democrático seja legitimado. Para a votação ser validada, é necessário um quórum de 50%+1 votantes. A proposta precisa ser aceita por dois terços dos votantes.


Diante de tantos ataques, priorizamos neste momento, a sobrevivência da Cassi para, quando houver conjuntura mais favorável, conseguirmos novos avanços.