Praticando a Democracia

33

O movimento sindical passa, em maio, por dois momentos importantes para consolidar as práticas democráticas defendidas pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). Logo no primeiro dia do mês, a classe trabalhadora ganhou as ruas para clamar por melhores condições de trabalho. No 1º de Maio deste ano, a CUT discutiu o desenvolvimento do País com soberania popular, igualdade e valorização do trabalho.


Precisamos ficar atentos para que este tempo promissor de desenvolvimento econômico pelo qual passa o Brasil não beneficie apenas as classes com alto poder aquisitivo. As riquezas produzidas no País precisam ser divididas com os que mais precisam. Além disso, lutamos para que as relações de trabalho sejam cada vez mais democráticas para que seja possível ampliar os direitos adquiridos. Somos contra qualquer tipo de prática antissindical. A CUT coloca essa questão em pauta não apenas no Ceará, mas também em seu congresso nacional, a ser realizado em julho.


O segundo momento importante neste mês de maio é o Congresso Estadual da CUT-CE que aconteceu entre os dias 10 e 12 de maio, em Beberibe. A CUT do Ceará é uma das maiores do País, o que nos enche de orgulho por comprovar que a maior parte da classe trabalhadora do Estado nos confia a tarefa de articular as políticas de interesse de diversas categorias.


No Congresso, os delegados e delegadas, eleitos democraticamente em cada sindicato, escolheram a diretoria que comandará a Central no próximo triênio. Também discutimos qual plataforma política os trabalhadores e trabalhadoras querem inserir na pauta de discussões na disputa eleitoral deste ano que ocorrerá em todos os municípios do País.


Esses dois exemplos mostram que a democracia no movimento sindical não está restrita apenas à teoria. É uma prática que dia a dia lutamos para que ela se fortaleça por meio do engajamento da classe trabalhadora e de toda a sociedade.

Jerônimo do Nascimento – Presidente da CUT/CE