Pressão dos bancários faz Fenaban, BB, CEF e BNB marcarem negociações

27

No sexto dia de greve nacional por tempo indeterminado dos bancários, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) marcou para quinta-feira, 1º/10, às 10h, em São Paulo, uma nova rodada de negociação com os trabalhadores.


“A greve aumenta e se fortalece a cada dia e a expectativa da categoria é de que a Fenaban apresente proposta que, finalmente, atenda às nossas reivindicações”, disse o presidente do Sindicato, Carlos Eduardo Bezerra. O agendamento vem poucos dias depois de os trabalhadores enviaram uma carta para os bancos reivindicando o retorno para a mesa de negociações. “Não estamos felizes com o impasse nas negociações, mas também não vamos recuar diante da intransigência dos banqueiros que nos fizeram uma proposta infame. Esperamos que na quinta-feira a Fenaban nos apresente uma proposta digna”, finalizou.


BB, CEF E BNB MARCAM NEGOCIAÇÕES ESPECÍFICAS – Desde o fim de semana, o Comando Nacional dos Bancários vêm solicitando à Fenaban, ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal a retomada das negociações. A direção do BB marcou para esta quarta, 30/9, às 14h, uma nova rodada para tratar das questões específicas. Já no dia 1º/10, às 15h, acontecem negociações específicas com a Caixa e o BNB. A direção da CEF se reúne com os bancários em São Paulo e a do BNB, na sede administrativa do Passaré, em Fortaleza.

Veja porque a proposta da Fenaban é tão ruim

AUMENTO REAL DE SALÁRIOS – 10% e os bancos oferecem 4,5%, que repõe apenas a inflação.

PLR – Os banqueiros querem reduzir o teto da PLR de 15% para 4% do lucro líquido, enquanto poucos executivos recebem bônus de milhões de reais. Exigimos três salários mais R$ 3.850,00 por bancário.

GARANTIA DE EMPREGO – As fusões estão gerando insegurança nos bancários. Os altos lucros dos bancos brasileiros não dão espaço para demissões.

FIM DAS METAS ABUSIVAS E DO ASSÉDIO MORAL – A pressão tem adoecido bancários e tornado o clima nos locais de trabalho insuportável.

MANUTENÇÃO DE TODAS AS CONQUISTAS – Bancos tentam reduzir o período de pagamento do auxílio-creche/babá.

AUXÍLIO-EDUCAÇÃO PARA TODOS OS BANCÁRIOS – Bancos como o Bradesco ainda não atenderam à reivindicação, apesar de exigirem formação superior.