Pressão leva Banco a liberar PLR/2015 mesmo sem acordo. Ação judicial vai continuar

12


Valeu a mobilização e os protestos feitos pelos colegas do BNB em todas as bases sindicais, demonstrando sua indignação pelo não pagamento da PLR/2015 nos moldes da Convenção Coletiva assinada com a Fenaban e assumida pela direção do BNB quando da apresentação de proposta para saída da greve, em outubro do ano passado.


A Diretoria Administrativa comunicou ao Sindicato dos Bancários do Ceará, na manhã de quarta-feira, dia 4/5, que vai liberar o pagamento dos R$ 18,3 milhões autorizados em Assembleia Geral dos Acionistas, de forma proporcional e descontando o adiantamento de R$ 4,5 milhões que foram repassados no ano passado, feito por ocasião do encerramento da última greve da categoria.


O Sindicato dos Bancários do Ceará enfatiza que a decisão de o Banco liberar o montante autorizado pelos acionistas não significa, de parte da Contraf e dos demais sindicatos cutistas e cetebistas, qualquer concordância com o valor estipulado. Dessa forma, a posição das entidades continua sendo a de não assinar qualquer acordo nesses termos e de continuar buscando na Justiça do Trabalho o cumprimento integral da Convenção Coletiva de Trabalho.


Quanto à assinatura do termo de adesão individual para recebimento do adiantamento suplementar da PLR/2015, o Sindicato não identifica qualquer problema em assinar, por entender que se trata apenas de uma precaução do Banco no sentido de assegurar que os valores pagos a título de antecipação sejam compensados, caso haja uma decisão posterior na Justiça.