Principais bancos divulgam balanço trimestral

62

Os principais bancos privados que operam no País já divulgaram seus balanços dos primeiros três meses do ano. O campeão no período foi o Itaú que, ajudado pela consolidação das operações do BankBoston, adquirido no ano passado, teve lucro líquido de R$ 1,9 bilhão. Depois aparecem Bradesco (lucro de R$ 1,7 bilhão) e ABN Amro (R$ 622 milhões).


O Itaú registrou lucro recorde no primeiro trimestre de 2007 e bateu, com folga, o ganho do rival Bradesco (R$ 1,7 bilhão), hoje o maior banco privado do País. O resultado da instituição cresceu 30,3% e atingiu a cifra de R$ 1,9 bilhão.


O Bradesco anunciou, na segunda-feira, 7/5, que bateu mais um recorde no último trimestre: seu lucro cresceu 11,4% em relação ao mesmo período do ano passado. O valor acumulado chega a R$ 1,7 bilhão. De acordo com a consultoria Economática, esse é um dos maiores resultados entre os bancos para o trimestre nos últimos 20 anos, só perdendo para o do Banco do Brasil, em 2006.


Já as operações de crédito do Unibanco subiram de R$ 39,684 bilhões em março de 2006 para R$ 47,001 bilhões em março deste ano, crescimento de 18,4%. No caso do consignado, a carteira do banco teve elevação de 64,5% desde março de 2006, chegando a R$ 2,46 bilhões em março deste ano.


Uma política mais rigorosa na concessão de empréstimos, adotada no ano passado, ajudou o Unibanco a diminuir as despesas de provisão para perdas de crédito, que recuaram 18% em relação ao primeiro trimestre de 2006.


Para o presidente da Contraf-CUT, Vagner Freitas, já está mais do que na hora de a sociedade brasileira discutir os lucros do setor financeiro. “Enquanto o País inteiro está discutindo planos de crescimento e distribuição de renda, os bancos têm lucros enormes. Quanto destes lucros vai para os projetos do PAC, para projetos de crescimento? Como o setor financeiro se envolve nessa discussão?”, questiona.