Projetos estruturantes e ações emergenciais avançam na negociação

8


No dia 2/3, em Brasília, houve mais uma rodada da mesa de negociação da Cassi entre as entidades de representação dos funcionários e aposentados e o Banco do Brasil, ocasião em houve cobrança das entidades quanto ao andamento dos projetos de ações estruturantes e também das propostas que o BB apresentaria no âmbito da Cassi para solucionar temporariamente os problemas de caixa e fluxo financeiro, enquanto se formata uma solução global que tenha que ser discutida e levada à consulta do Corpo Social.


O banco informou que houve avanço no andamento dos projetos estruturantes, que tratam de aperfeiçoamento dos mecanismos de regulação, gestão da rede de prestadores, acesso qualificado através do sistema integrado de saúde, gestão integrada de informações de estudos estatísticos e atuariais, aperfeiçoamento dos processos orientados ao sistema de saúde Cassi e novos planos.


Quanto às propostas emergenciais para reforço de caixa, o banco informou que avançou bastante nos estudos técnicos e avalia a possibilidade de antecipar a parte patronal do 13º salário de novembro. As entidades cobraram do BB que nenhuma proposta contenha corte de benefício ou direitos. O banco afirmou que não fará proposta com corte de benefício e garantiu que não terá falta de caixa na Cassi.


“A reunião foi positiva, mas vamos continuar negociando para garantir aos associados da Cassi a tranquilidade de que não faltará atendimento a nenhum funcionário da ativa, aposentado ou pensionista”
José Eduardo Marinho, diretor do Sindicato e conselheiro eleito da Cassi