Protesto no Bradesco: banco pressiona e demite ex-becistas

25

No contra-ataque às demissões no Bradesco, o Sindicato dos Bancários denunciou as perseguições sofridas por funcionários do banco na sede dos Peixinhos, no dia 25/10. A manifestação contou com a presença de diretores do Sindicato, artistas e banda de música.

A perseguição atinge, principalmente, os ex-becistas que possuem ações na Justiça contra o Bradesco. O descaso do Bradesco com seus funcionários é tamanho que os bancários são demitidos por documento de poucas linhas. Em carta a um dos demitidos, o banco justifica o “desligamento”: “pelos motivos que já são de seu conhecimento”.

Diretores do Sindicato denunciaram essa prática abusiva na porta do banco. “Isso já vinha sendo anunciado há dez anos, quando o governo do estado começou a tentar vender o BEC. O novo capítulo dessa novela são as demissões. Após 20, 25 anos trabalhando na empresa, o funcionário recebe uma carta de demissão”, denunciou Marcos Saraiva, presidente do Sindicato, que aproveitou para fazer um apelo à população: “Se o Bradesco não cumpre com seus deveres sociais e trabalhistas, parem de aplicar nele e procurem outro banco que tenha mais responsabilidade social”, disse Marcos.

O funcionário do Bradesco e diretor do Sindicato, Gabriel Motta, demonstrou repúdio à prática da empresa. “Os bancários estão inseguros se vão ser a próxima vítima do Bradesco. Se for preciso, a gente paralisa as atividades desse banco”, afirmou.