Protestos devem continuar em abril

11


As entidades representativas dos trabalhadores vão manter os protestos contra a reestruturação na Caixa Econômica Federal. A orientação foi tirada durante a reunião da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), dias 30 e 31 de março, em Brasília (DF). Uma das atividades definidas é um novo Dia Nacional de Luta em 12 de abril.


As medidas de reestruturação na Caixa foram anunciadas pela presidente Miriam Belchior em 10 de março, sem qualquer diálogo com os trabalhadores. No mesmo dia, uma mensagem do Conselho Diretor foi repassada aos trabalhadores informando sobre o início do processo, mas sem grandes esclarecimentos. Desde então, o clima é de apreensão nas unidades de todo o País, com empregados amedrontados.


Fenae e Contraf-CUT já encaminharam ofício à Miriam Belchior reivindicando a suspensão imediata da reestruturação em todo o País e a abertura de diálogo com a categoria.


Paralelo à mobilização, entidades sindicais estão buscando outras frentes para paralisar a reestruturação. Uma delas é a via judicial. Depois de Brasília, outras bases já ajuizaram ações contra as medidas do banco. São elas:  Alagoas, Bahia, Belo Horizonte, Ceará, Paraíba e Rio de Janeiro.


A reestruturação será ainda um dos pontos da pauta da mesa de negociação permanente, que ocorrerá no dia 14 de abril. Estarão em discussão também outras questões como jornada de trabalho e Funcef.