Quadrilha assalta agência e faz bancários e clientes de reféns

10


Continua a onda de assaltos a bancos nos municípios do Interior do Ceará.  O último registro é de quarta-feira, 2/9, quando uma quadrilha com cerca de dez homens, fortemente armados com metralhadora e fuzil, assaltou uma agência do Bradesco, em Independência, a 309 km de Fortaleza. Os bandidos ficaram no interior da agência por cerca de 1 hora, ameaçando os funcionários e torturando-os até recolher o dinheiro do banco.


Dia 30 de junho deste ano, no mesmo município de Independência, funcionários do Banco do Brasil também viveram momentos de pânico, quando oito homens fortemente armados assaltaram aquela unidade. A quadrilha invadiu a cidade, rendeu funcionários e clientes do banco, fez reféns e usou oito pessoas como escudo na hora da fuga.


No assalto do dia 2/9, os bandidos repetiram a estratégia de usar pessoas como escudo para facilitar sua fuga. A quadrilha pegou como reféns e usou como escudo sete pessoas:  um bancário, um vigilante e cinco clientes.  Os reféns foram levados e deixados fora da cidade. Os bandidos levaram o carro do funcionário do banco, já feito refém, incendiado-o nos arredores da cidade. Todos os bandidos estavam encapuzados. Na fuga, houve troca de tiros e um policial foi ferido, sendo internado num hospital da região.


O bancário, que virou refém, também foi internado no hospital daquele município, sendo liberado no dia seguinte. Dirigentes do Sindicato dos Bancários do Ceará entraram em contato com as famílias e com os funcionários lotados no Bradesco de Independência dando apoio, solidariedade e dando também toda orientação sobre providências a serem tomadas como emissão de CAT etc.


O que fazer em caso de assalto?

O Sindicato orienta aos bancários que em casos de assalto à agência em funcionamento, deve-se exigir a Comunicação de Acidente de Trabalho – CAT. Segundo o diretor Bosco Mota, “exigir a CAT poderá garantir aos bancários tratamento, futuramente, se necessário. O funcionário da agência assaltada tem o direito de retirar-se do trabalho após o incidente, pedir um laudo médico e exigir a emissão da CAT pelo banco”.


Importante

Embora seja direito dos trabalhadores, muitas chefias recusam-se a emitir CAT/Assalto. Se isso ocorrer, o bancário deve procurar imediatamente o Sindicato para fazer valer seu direito. Mais informações pelo telefone (85) 3252 4266, das 8 às 18 horas, de segunda a sexta-feira.