Quaresma: tempo de reflexão

54

Tempo de reflexão e de reconciliação fraterna, esse é o sentido da Quaresma para os católicos. Nessa época, que vai da Quarta-Feira de Cinzas ao Domingo de Ramos, os fiéis são convidados a refletirem sobre seus atos e sobre os ensinamentos de Cristo. Esses quarenta dias são marcados por penitência, recolhimento e oração.

O termo “Quaresma” vem do latim e significa quadragésima. É utilizado para designar os quarenta dias que antecedem a Páscoa e sua duração está baseada no símbolo do número quarenta na Bíblia. Os quarenta dias do dilúvio, os quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, os quarenta dias de Moisés e de Elias na montanha, os quarenta dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública e os 400 anos que durou o exílio dos judeus no Egito são exemplos dessa simbologia.

Acredita-se que a Quaresma surgiu por volta do século IV, com a prática do jejum e da abstinência. Conservada com bastante vigor, ao menos em um princípio, nas Igrejas do oriente, a prática penitencial da Quaresma vem sendo diminuída no ocidente.

Nesse período, as celebrações são caracterizadas pela utilização de vestimentas da cor roxa e pela não utilização dos cânticos “Glória” e “Aleluia”. Além disso, a Igreja Católica solicita a seus fiéis que não batam palmas durante a missa. No Brasil, a Igreja elege anualmente, desde 1964, um tema para ser debatido nesses quarentas dias. É uma iniciativa da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e se intitula Campanha da Fraternidade.