Questionário ouvirá opinião dos funcionários sobre PCS

20

O Bradesco tem hoje cerca de 78 mil funcionários e existe problemas com relação a salários com diferentes tipos de remuneração para funcionários que exercem a mesma função. A Comissão de Empresa (COE/Bradesco) vem há algum tempo discutindo como banco como solucionar essas diferenças. Entende a COE, que isso causa insatisfação entre os trabalhadores e uma forma de solucionar essa insatisfação é a implantação de um Plano de Cargos e Salários (PCS), onde sejam unificados os valores salariais dentro das respectivas funções.


Para que isso efetivamente funcione, o PCS tem que ser construído a partir da demanda do quadro funcional e que haja muita transparência, dando oportunidade ao funcionário ter conhecimento da forma como vai atingir seus objetivos, no tocante à promoção; e também o direcionamento até onde pode atingir suas metas profissionais, dentro da sua vida laboral na empresa. Dessa forma trazendo satisfação maior, no efetivo desempenho do seu trabalho, podendo desempenhar, portanto, seu papel com plenitude.


Para surpresa dos funcionários, o Bradesco anunciou que vai implantar um PCS unilateralmente, sem a discussão com seu quadro funcional.


Na reunião do dia 25/4, a COE/Bradesco determinou que os dirigentes sindicais através dos Sindicatos, façam mobilizações com suas bases. Para tanto está enviando um questionário para ser aplicado junto aos funcionários com perguntas a partir das necessidades de cada um nesse PCS.


No próximo dia 16/5 em Recife, dirigentes sindicais do Nordeste farão uma reunião para discutir os resultados dessa pesquisa e tirar os encaminhamentos para reunião que acontecerá com a COE/Bradesco dias 30 e 31/5, em São Paulo. “Esse é um momento importante para que os funcionários do Bradesco se posicionem para buscar construir uma política que favoreça melhores condições de trabalho e de salários. Portanto, é importante a participação de todos nessa campanha. Dê sua opinião e faça seus anseios chegarem à direção do banco”, disse Telmo Nunes, diretor do Sindicato dos Bancários.