Receitas secundárias pagam 127,95% das despesas de pessoal do BNB em 2016

20


Com crescimento de 11,2% em 12 meses, as receitas de prestação de serviços e rendas de tarifas bancárias auferidas pelo Banco do Nordeste do Brasil no exercício de 2016 totalizaram R$ 2,3 bilhões.  Esse montante das chamadas receitas secundárias cobriu 127,95% das despesas de pessoal do Banco no ano passado, ou seja, somente essa modalidade de receitas paga a folha de todo o funcionalismo e ainda sobra cerca de 30% de recursos.


A análise do Balanço do BNB no ano passado foi elaborada pela Rede Bancários do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (DIEESE) por solicitação da Contraf-CUT e Comissão Nacional dos Funcionários do BNB. O estudo revela também um crescimento no retorno sobre o patrimônio líquido médio do Banco de 24,3%, com aumento de 14% em 12 meses.


Com resultados tão robustos, evidenciados também pelo crescimento de 139,5% do lucro líquido em 2016, em relação a 2015, passando de R$ 305,7 milhões para R$ 732,1 milhões, fica claro que o fechamento de 19 agências e a redução na dotação de pessoal, com a não convocação de concursados, é tão somente fruto de uma política de desmontagem do setor financeiro estatal pelo governo golpista de Michel Temer.


Os auspiciosos resultados obtidos pelo BNB, graças em maior parte ao empenho dos funcionários, também demonstram que a Participação nos Lucros e Resultados destinada aos trabalhadores poderia ser muito maior do que a que já foi anunciada, mas que pode ser ainda mudada bastando para isso que a Assembleia de Acionistas, marcada para o próximo dia 24 de março, eleve o percentual de distribuição dos dividendos aos acionistas, até então fixados no mínimo permitido por lei que é de 25% do lucro líquido alcançado no exercício. Explicando: o percentual da PLR é limitado a 25% do percentual dos dividendos, o que significa 6,25%, rebaixado ainda para 5,95% devido ao não cumprimento de metas de desempenho em algumas variáveis fixadas de forma unilateral pelo Governo e Banco.


REUNIÃO – Com base nos dados irrefutáveis da análise do DIEESE sobre o desempenho do Banco, a Contraf-CUT, através  da coordenação da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, está solicitando audiência com o Diretor Administrativo do Banco, Henrique  Moura, para  tratar de questões de relevante interesse para o corpo funcional, dentre  as quais destacam-se a reestruturação  já  em curso, a implantação de Programa de Desligamento de Funcionários, a redução da dotação de pessoal do Banco e o pagamento da PLR de 2016.