Reivindicação atendida: deixa de ser obrigatório o uso de gravata

24


Constando na minuta de reivindicações específicas dos bancários do Bradesco, que foi entregue ao banco em junho deste ano, o uso da gravata pelos funcionários da instituição deixa de ser obrigatório, a partir do mês de setembro. O que era uma opção somente às sextas, foi estendido para toda a semana, porém condicionando-se a ocasiões em que esse uso for necessário.


Roupas mais informais têm dado lugar ao vestuário tradicional das agências, que antes era usado para transmitir credibilidade. O novo modo de vestir-se vem sendo adotado pelas instituições bancárias com o objetivo de motivar os funcionários e também estabelecer uma relação de proximidade com um novo perfil de cliente. Apesar do incentivo ao uso de roupas menos formais, os funcionários são orientados a ter bom-senso.


É também pauta do movimento sindical, a defesa do respeito à identidade visual dos bancários, às suas características físicas e expressão da personalidade e abolir o uso da gravata é um dos itens dessa pauta. A próxima reivindicação neste sentido é a liberdade sobre o uso da barba. Embora o banco tenha negado em reuniões formais que exista proibição em relação ao uso da barba, a realidade nas agências é diferente.


“Assim como toda a categoria bancária, os funcionários do Bradesco têm responsabilidade com o trabalho. O que nós do movimento sindical defendemos é o respeito à liberdade de expressão de cada indivíduo”
Gabriel Rochinha, diretor de Formação do SEEB/CE