Renda do trabalhador sobe e desemprego cai

24

O desemprego nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE foi de 10,1% em fevereiro – menor taxa para o mês desde o início da série histórica do indicador, em 2002. Na comparação com fevereiro de 2005, a redução no total de desempregados foi de 0,5 ponto percentual, segundo divulgou o Instituto, na sexta-feira dia 24/3.

Na comparação com janeiro deste ano, houve aumento de 0,9 ponto percentual no total de desempregados. Segundo o IBGE, trata-se de um recuo natural.

“Tradicionalmente observa-se uma tendência de alta na desocupação (em fevereiro), em razão da redução de trabalhos temporários e aumento do número de pessoas procurando trabalho”, diz o texto publicado na página do IBGE (www.ibge.gov.br).

Ainda assim, o contingente de pessoas com carteira de trabalho assinada ficou estável em relação a janeiro. Nos últimos 12 meses, porém,, foram criados cerca de 398 mil postos formais, ou seja, um aumento de cerca de 5,1% em relação a fevereiro de 2005.

Quanto ao rendimento médio real do trabalhador, houve aumento nas duas comparações. A média de R$ 999,80, apurada em fevereiro, ficou 1,1% acima do resultado de janeiro deste ano e foi 2,5% superior a do mesmo mês de 2005.

População ocupada – Em fevereiro de 2006, o contingente de ocupados (19,9 milhões) apresentou estabilidade na comparação com janeiro de 2006. Na comparação com fevereiro de 2005, o quadro foi de alta, sendo observado crescimento de 2,5%, ou seja, aumento de 491 mil pessoas.