Representantes dos empregados cobram presidente da Caixa sobre desmonte

34


“Vamos usar todos os instrumentos possíveis para impedir todo e qualquer ataque aos empregados. Um deles é a adesão à greve geral de 28 de abril. Precisamos ir às ruas dizer que não concordamos com essas reformas do governo Temer, a terceirização sem limites e o desmonte dos bancos públicos, sobretudo da Caixa, que é patrimônio do povo brasileiro”

Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará


A Caixa realizou uma grande reunião no Anhembi, na capital paulista, dia 17/4. Como a pauta foi mantida em segredo, o encontro causou grande apreensão e medo entre os empregados. Ao tomar conhecimento da reunião, os representantes dos empregados mobilizaram-se e organizaram um protesto em frente ao prédio para denunciar a retirada de direitos e conclamarem todos para a GREVE GERAL dia 28 contra as reformas do golpista Temer e em defesa dos bancos públicos.


Devido à presença dos representantes dos empregados, o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, decidiu se reunir com os dirigentes sindicais.


Os representantes dos empregados cobraram esclarecimentos sobre o processo de verticalização em agências, no qual é exigida uma carteira com 300 contas qualificadas para manter a função de gerente PJ e, para gerente PF, uma carteira de 900 contas qualificadas. Occhi afirmou que os bancários que perderem cargos, por conta da verticalização ou redução no número de agências, vão incorporar suas funções.


Os representantes dos empregados também questionaram a informação de que a direção da Caixa cogita ressuscitar o RH 008, que permite a demissão sem justa causa. Occhi negou que existam planos nesse sentido.


Não se cale – O Sindicato destaca que esse é o momento de defendermos nossos direitos e a Caixa 100% pública. Em casos de irregularidades, pressão e denúncias, fale imediatamente conosco pelo (85) 3252 4266.