Resistência é estratégia definida na VI Conferência Regional

31


Na VI Conferência Regional da Federação dos Trabalhadores no Ramo Financeiro (Fetrafi-NE), realizada entre 14 e 16/7, no Recife, os conferencistas definiram a resistência do movimento como estratégia para fortalecimento da categoria. A conferência reuniu cerca de 150 bancários de todo o Nordeste.


Na palestra de abertura da Conferência Regional, o sociólogo e escritor Emir Sader alertou: “estamos no olho do furacão dos ataques. Sabemos que o fato do capital financeiro mandar no Brasil resulta diretamente na liquidação dos recursos sociais e na destruição da democracia. Sabemos também que a direita só triunfa em um país desmoralizado e que Temer tem o apoio do Congresso e pode seguir juridicamente por muito tempo. Por isso temos de fortalecer a nossa luta e impedir que esse governo golpista continue ativo”.


Outras propostas foram aprovadas, como a manutenção da representatividade sindical, uma nota de repúdio à reforma trabalhista, o início de uma campanha contra a venda de produtos nos caixas dos bancos, a elaboração de um glossário com novos termos usados no mundo digital, o retorno da campanha de defesa da ampliação de 2h no atendimento bancário (das 09h às 17h) com dois turnos de jornada de 6h.


Foi aprovada ainda, a realização de três seminários com os seguintes temas:


• Seminário para alertar os bancários sobre os impactos da reforma trabalhista para a categoria;


• Seminário para esclarecimento da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria;


• Seminário específico para discussão sobre a imagem do movimento sindical; e a interação do movimento com a categoria.


“A Conferência da Fetrafi Nordeste voltou-se totalmente para as questões específicas da categoria, como a defesa do emprego, a segurança bancária, as novas tecnologias e estratégias para engajar os trabalhadores do ramo financeiro na luta.  Saímos mais fortes e focados na resistência”
Carlos Eduardo Bezerra, presidente da Fetrafi/NE  e do SEEB/CE