Resistência e unidade serão nossas palavras de ordem na Campanha 2018

49


Bancários e bancárias, a nossa campanha nacional já começou! Iniciamos o processo nos dias 27 e 28 de abril, com a realização do Encontro Estadual, onde debatemos nossas pautas locais e desafios para a campanha deste ano.


No próximo final de semana, em Recife, acontece a Conferência Regional dos Bancários, realizada pela Fetrafi/NE, da qual também estamos à frente. Enquanto esses eventos acontecem, podemos ainda contribuir respondendo a consulta para a Campanha Nacional 2018.


Participar desse processo é muito importante, pois você deixa registrada as suas prioridades, as suas demandas e as suas principais preocupações e elas servirão, juntamente com os demais questionários aplicados em todo o país, como base para a elaboração da minuta nacional de reivindicações que será entregue à Fenaban.


É muito importante saber a opinião de cada trabalhador da nossa categoria no seu local de trabalho. É a concretização do processo democrático e participativo, a fim de auxiliar os debates nas conferências e construir mobilização e unidade para nossa Campanha Nacional e, diante do golpe e dos ataques que estamos sofrendo por parte do governo do “temeroso”, essa união é fundamental para garantirmos nossas conquistas.


Entre as questões apresentadas, destacam-se as reivindicações de manutenção dos direitos, garantia do emprego, melhoria das condições de trabalho, combate à terceirização, além de temas como reforma trabalhista, defesa dos bancos públicos, importância de se eleger candidatos comprometidos com a plataforma dos trabalhadores, entre outros. O resultado final da consulta será apresentado durante a 20ª Conferência Nacional dos Bancários, entre os dias 8 e 10 de junho, em São Paulo.


A hora é de participação, mobilização, união e resistência. Prova disso foi o grande ato unificado realizado dia 1º de Maio, Dia do Trabalhador, que reuniu cerca de 15 mil pessoas no ginásio poliesportivo da Parangaba, saindo em caminhada pelas ruas da Serrinha. O 1º de Maio deste ano no Ceará ganhou ainda uma atividade inédita na cena política e social brasileira: o lançamento estadual do Congresso do Povo.


Este 1º de Maio foi o primeiro depois da aprovação da reforma trabalhista e, por isso, essa data e o lançamento deste congresso ganharam ainda mais força. Temos que garantir o compromisso da classe trabalhadora para que os golpistas não se reelejam. É importante também entendermos que a prisão do ex-presidente Lula também visa restaurar um projeto neoliberal no continente. Afinal, não existem direitos, conquistas e avanços sem democracia, sem transparência, sem pessoas comprometidas com a classe trabalhadora.


Diante do golpe, que agora bate à porta da categoria bancária, temos, mais do que nunca, de estarmos unidos, fortes, mobilizados. Precisamos construir uma campanha ampla que olhe além do corporativismo. A resistência e a unidade serão as nossas palavras de ordem!
Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará