Resposta do SEEB-CE/AFBNB à Coluna Vertical S.A.do Jornal o Povo

41

A respeito da nota “O direito de não fazer greve”, publicada na coluna do dia 01/10, Sindicato dos Bancários do Ceará e a Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB) vêm fazer alguns esclarecimentos:


– Respeitamos o direito dos que não fazem greve, apesar de lamentarmos que esse tipo de postura ainda exista entre os trabalhadores e tenha eco na mídia brasileira. A greve, como o senhor bem sabe, é um direito do trabalhador amparado pela Constituição Federal Brasileira e que tem sido até o momento a forma mais eficaz de se conseguir levar à classe patronal as demandas do funcionalismo. Inclusive a ampliação da licença-maternidade para 6 meses foi objeto de muita negociação e luta dos trabalhadores, já que a administração do Banco do Nordeste não implementou de imediato o benefício.


Quanto às denuncias feitas pela leitora, o Sindicato dos Bancários reputa como improcedentes, uma vez que foi negociado o acesso às dependências do Centro Administrativo do Passaré de gestantes, pais com crianças na creche e pessoas com dificuldade de locomoção em seus respectivos veículos, bastando, para isso, a identificação junto à comissão de esclarecimento que atua na portaria 3.


Assédio moral é caracterizado por que tem ascendência de qualquer natureza, principalmente funcional, sobre outrem. E é o que vem sendo feito por dirigentes do BNB, através de ameaças aos grevistas de retirada de comissões, suspensão de tíquetes e orientação a gestores a pressionarem seus subordinados para não aderirem a greve.


Não é o caso do Sindicato e AFBNB e seus dirigentes que não exercem qualquer tipo de influência sobre a vida profissional dos trabalhadores que representam. A greve é uma decisão coletiva que deve ser respeitada, mas nunca uma imposição.


A Sra. Luciana, enquanto gerente sabe do que estamos falando e deveria usar de mais coerência ao fazer esse tipo de acusação e, posteriormente, se beneficiar das conquistas advindas da greve, às custas do esforço dos demais colegas do BNB.

Diretoria do Sindicato dos Bancários do Ceará e da AFBNB