Retomadas as negociações permanentes

51

A Contraf-CUT reuniu-se na terça-feira, dia 28/11, com a direção do HSBC para discutir pontos principais da minuta de reivindicações específicas. A reunião marcou a retomada das negociações permanentes e, dentre as reivindicações, os bancários querem que o HSBC pague uma ‘cesta de Natal’ a todos os funcionários, contendendo os valores do vale-refeição e da cesta-alimentação.

“O HSBC ficou de analisar, mas vamos insistir nesta reivindicação. O lucro do banco cresceu em 58,9% por empregado este ano, queremos dividir o bolo e nosso pedido é justo”, destacou Sérgio Siqueira, diretor da Contraf-CUT e funcionário do banco.

Os bancários também reivindicaram um controle nas demissões por justa causa. A Contraf-CUT quer que o HSBC implemente as ações contidas nos normativos dos procedimentos operacionais sobre advertências e suspensões e facilite a composição de dívida para casos de inadimplência, antes de aplicar sansões mais graves como a justa causa. O banco disse na negociação que vai estabelecer um critério com seis avisos.

Plano Odontológico – O convênio da Interodonto, dos funcionários do HSBC, apresenta, em todo o país, problemas com a rede credenciada, com poucos dentistas e demoras no atendimento. Os funcionários querem um novo plano de cobertura com a inclusão de ortodontia.

Planos de Saúde – O HSBC ficou de analisar a cobertura das sessões com psicólogos e psicoterapeutas reivindicadas pela Contraf-CUT. O HSBC vai ouvir a Sul-América e dar uma resposta.

Bolsa Educacional – Os bancários também querem mais bolsa educacional. Hoje o HSBC oferece 900 bolsas. O objetivo é aumentar o benefício para 2.800.