Reunião entre funcionários e o banco debate conquistas e reivindicações

17


Em reunião realizada dia 11/4, em São Paulo, a Contraf-CUT, assessorada pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco, debateu a pauta de reivindicações trazendo conquistas para os trabalhadores.


De acordo com os representantes dos funcionários, foram obtidos importantes avanços na questão dos vales alimentação e refeição, onde cada bancário terá sua própria governabilidade. Outra importante conquista foi sobre a licença-maternidade garantida para casais do mesmo sexo, o que representa estabilidade tanto para a família quanto para a sociedade. Apesar destes importantes avanços, os sindicalistas destacaram a importância de intensificar a luta na defesa dos empregos.


Um dos destaques da mesa foi a conversão dos valores dos Vales Alimentação (VA) e Refeição (VR). Pela primeira vez, o banco disponibilizará, a partir de setembro deste ano, a transferência de valores entre o VA e VR. O bancário pode optar por transferir qualquer valor do VA para o VR ou vice e versa, a qualquer momento, inclusive a 13ª cesta alimentação. Desde que não zere um dos cartões para não o deixar inativo.


Este programa de conversão de valores será implementado a partir da primeira quinzena de setembro. O bancário poderá fazer a transição de valores através do SAP do portal do banco, até o dia 10 de todo mês.


LICENÇA-MATERNIDADE PARA CASAIS HOMOAFETIVOS – Outro ponto de avanço obtido na reunião foi sobre a licença-maternidade adoção para casais homoafetivos. A COE do Bradesco conseguiu que o banco garantisse a licença-maternidade adoção e a estabilidade para parceiros do mesmo sexo. Ou seja, será concedido para um(a) parceiro(a) do casal homoafetivo a licença-maternidade de 120 dias ou 180 dias, conforme opção do trabalhador(a). Os representantes dos trabalhadores também reivindicaram a licença-paternidade para o casal e o banco disse que vai avaliar o assunto.


ADIANTAMENTO DE FÉRIAS – A COE insistiu sobre o parcelamento do adiantamento do salário de férias. Sem avanço, esta pauta será discutida na próxima reunião.


DEMISSÕES – Na defesa do emprego, a COE do Bradesco cobrou explicações sobre o número de demissões. Em 2015, o banco demitiu 2.613 funcionários, em 2016, houve 3.121 cortes de postos de trabalho e no primeiro trimestre de 2017, cerca de 1.200 bancários foram demitidos.