Reunião na SR Norte e Sul debate demandas dos empregados no Interior

5


O Sindicato dos Bancários do Ceará e a Apcef/CE estiveram reunidos no último dia 9/6, com o superintendente regional Norte e Sul da Caixa Econômica Federal, Paulo Henrique Ângelo Souza, para debater diversas demandas das agências localizadas no Interior do Ceará. O encontro aconteceu no Edifício Sede da Caixa, com a presença do secretário jurídico do Sindicato, Gustavo Tabatinga, o presidente da Apcef/CE, Áureo Júnior e os diretores do SEEB/CE, Marcos Saraiva, Jefferson Tramontini e Túlio Menezes.


A Superintendência Regional da CEF Norte e Sul é responsável pelo atendimento a todos os municípios do Estado, exceto Fortaleza. Dessa forma, os dirigentes sindicais levaram à mesa o caso da Caixa de Tianguá, onde a gerente geral da unidade induzia os empregados a fazerem horas extras sem o devido registro do ponto, além de várias denúncias de cobranças abusivas de metas e ameaças. Após paralisação e intervenção do Sindicato em Brasília, a gerente geral foi afastada. “Nós valorizamos muito o canal de diálogo e a mesa de negociação, mas nesse caso a situação estava insustentável. Tanto que a simples troca da gerência já mudou totalmente o clima do local, o que nós verificamos em visita recente à unidade”, informou Gustavo.


O secretário jurídico do Sindicato relatou ainda que essa postura de burla das horas extras vem se repetindo em algumas unidades do Interior, o que reforça a luta da entidade por mais contratações. “Se há tanta necessidade de realização de trabalho extraordinário é porque há deficiência de pessoal nas agências e se há concursados, por que não chamá-los?”, questionou, criticando ainda o número baixo de convocações realizadas pela Caixa nos últimos meses.


O dirigente Túlio Menezes cobrou melhorias no atendimento, reforçando a contratação de mais empregados e que, apesar do avanço crescente, algumas unidades como Barbalha e outras da região metropolitana, ainda carecem de reformas em suas estruturas físicas.


O presidente da Apcef/CE, Áureo Júnior, atentou para a proximidade da campanha salarial dos bancários, com data base em 1º de setembro. “É preciso discutir com afinco a melhoria das condições de trabalho dos empregados e a melhoria do atendimento do próprio banco. Esse momento da campanha salarial é muito importante para avançar nas conquistas dos bancários da Caixa”.


Conecef – O diretor do Sindicato, Marcos Saraiva, ressaltou que os delegados do 30º Conecef aprovaram o aumento do número de empregados da Caixa para 130 mil, respeito à jornada de seis horas, com pagamento integral das horas extras para todos os empregados.

“Se a Caixa tem o objetivo de atender bem e prestar um bom serviço à população, como deve ser o papel de um banco público, deve primeiramente respeitar seus empregados. É preciso que a direção do banco procure conhecer a realidade dentro das agências e que veja o movimento sindical não como rival, mas como parceiro na busca por qualidade de vida, por melhores condições de trabalho, por mais segurança e por um melhor atendimento à sociedade”.

Marcos Saraiva, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará


Veja o que a Caixa respondeu:


Segundo o superintendente da SR Norte e Sul, Paulo Henrique Ângelo, a Caixa afastou a gerente geral da agência de Tianguá e a Gipes foi à unidade para realizar um levantamento dos problemas junto aos empregados e averiguar as denúncias feitas pelo Sindicato dos Bancários.


Com relação à quantidade de empregados nas agências, Paulo Henrique informou ser uma questão de gestão do banco e que não há como interferir regionalmente. O que a SR Norte Sul procura fazer é uma readequação interna para procurar sanar emergencialmente a situação de agências com situações mais críticas.


Quanto às horas extras, Paulo Henrique informou que a recomendação da Caixa Econômica Federal é pelo correto registro das horas extras trabalhadas e isso tem sido reforçado com todos os gestores do Interior, que é a sua alçada. Quanto à estrutura física das agências, afirmou que o banco tem atuado para fazer as devidas mudanças.


Com relação ao Saúde Caixa, reconhece que o plano precisa ampliar sua rede de credenciados. Entretanto, o superintendente disse ter encontrado problemas em cadastrar novos parceiros.