Reuniões esclarecem funcionários do Banco do Brasil

27

Dentro da campanha nacional de combate ao assédio moral, promovida pela Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), os diretores do Sindicato dos Bancários realizaram reunião sobre o tema na agência do Banco do Brasil, em Maracanaú, no dia 21/6. Esta foi mais uma atividade que o Sindicato fez para debater e esclarecer o tema.

Na ocasião foi divulgado o resultado da pesquisa nacional sobre assédio moral, nos bancos, realizada pela Contraf. A pesquisa mostrou que 33,8% dos bancários reclamam de assédio moral em algum momento da vida profissional.

Revela que nos bancos públicos o assédio é menor do que nos bancos privados. No Nordeste, o assédio moral no setor é menor do que no Sudeste. Regina Maciel, assessora de Saúde do SEEB/CE e responsável pelo trabalho, lembrou que o assédio moral é uma prática no mundo inteiro, com ocorrência de variados tipos de comportamentos negativos de chefias para com os subordinados e, com menos intensidade, entre os próprios subordinados.
Regina Maciel afirma que o assédio moral deve ser enfrentado com a conscientização do problema, procurar ajuda e apoio nos outros, principalmente do Sindicato, pois sozinho é mais difícil enfrentá-lo. “O assediado não pode ficar calado, pois a pressão é grande. A luta grupal é o caminho”, disse.

Finalmente, lembrou que esse problema de assédio moral surgiu com a exigência cada vez maior do mercado pelos resultados positivos. Os bancos criaram sistemas de metas, que devem ser cumpridas pelos bancários a qualquer custo.

Estiveram presentes à reunião, além dos funcionários da agência, os diretores Leirton Leite, Carlos Eduardo, Bosco Mota e a assessora de Saúde do Sindicato, doutora em Psicologia Organizacional, Regina Maciel.

Novas reuniões já estão sendo agendadas para continuar a discussão sobre assédio moral nas agências do BB.