Revisão do PCR e isonomia apresentadas como prioridades ao presidente do BNB

23


Em reunião realizada dia 16/6, no Gabinete da Presidência do BNB, a Contraf-CUT e os sindicatos que integram a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB entregaram ao presidente do Banco, Marcos Holanda, documento contendo as principais cláusulas da pauta específica de reivindicações no último Congresso dos Funcionários do BNB não contempladas no acordo salarial vigente.


O objetivo é cobrar da direção da Empresa a retomada da mesa permanente de negociação, suspensa no período de transição entre a saída do antigo presidente e a posse do atual, ocorrida há cerca de um mês. Dentre as demandas apresentadas durante a reunião destacam-se a revisão do Plano de Cargos e Remuneração (PCR) e isonomia de direitos para todos os funcionários da Instituição.


Solução previdenciária para os funcionários que já podem se aposentar, ajustes na gestão da Camed para assegurados, dentre outras reivindicações, o retorno dos genitores ao Plano Natural, pagamento de diferença da PLR 2012 e acatamento de todos os pedidos de adesão ao PID (Programa de Incentivo ao Desligamento) feitos até o final do ano passado, vale cultura e equiparação das funções dos gerentes Pronaf às de gerentes de negócio são outras reivindicações destacadas no documento.


“Enfatizamos o fortalecimento do BNB como banco autossustentável financeiramente e capaz de cumprir a sua missão de desenvolver o Nordeste utilizando para isso recursos do Fundo Constitucional. Para isso é necessário também que o BNB exerça plenamente suas funções de instituição financeira múltipla”
Tomaz de Aquino, coordenador da CNFBNB e diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará