Saiba como se prevenir do câncer de pele

61

Verão, praia, sol e pele bronzeada. Essa é uma combinação irresistível para as férias, principalmente em Fortaleza, onde o sol é um habitante natural da cidade.

Inevitavelmente, nesse período do ano a pele costuma ficar exposta ao sol por muito mais tempo que o habitual. O maior problema, nesse caso, é que esse tom bronzeado pode levar a uma exposição excessiva e inadequada à radiação solar, que pode trazer sérios danos à pele, o mais grave deles, o câncer de pele.

O risco de contrair câncer de pele é maior do que muita gente pensa. Se você é uma dessas pessoas que preferem privilegiar padrões estéticos em detrimento da saúde do corpo, é fundamental tomar alguns cuidados para proteger a pele antes de se expor. Primeiramente, evite tomar sol entre 10h e 16h, pois é nesse período que a incidência de raios UVA e UVB é maior que predispõem a pele ao aparecimento do tumor.

Existem basicamente três tipos de câncer de pele. O mais comum deles é o carcinoma basocelular, que costuma aparecer em áreas do corpo mais expostas ao sol, como o rosto. Apesar de não levar o indivíduo à morte, ele é uma ferida crescente e mutilante, ou seja, se o machucado se desenvolver na orelha, ele pode destruir o local. O carcinoma espinocelular é um pouco mais perigoso, levando ao óbito apenas em casos mais avançados. O terceiro e mais grave tipo de câncer de pele é o melanoma maligno, que pode levar o indivíduo à morte. O melanoma é o câncer que mais cresce no mundo, nos últimos dez anos aumentou 20%, mas submetida a um tratamento, é curavel.

Ele costuma aparecer como uma pinta escura e irregular, e pode apresentar diferentes cores dentro da mesma mancha. Deve-se também observar o aparecimento de verrugas inchadas nas áreas mais expostas do corpo. Normalmente os raios ultravioletas são responsáveis por uma degeneração branda, que altera a camada superficial da pele, provocando descamações freqüentes, mais conhecidas pelos médicos como queratose. A partir desse pré-câncer o excesso de sol pode atingir camadas mais profundas da pele, e como conseqüência o câncer de camada basal ou camada espinhosa.

Usar chapéus, bonés e camisetas é uma boa maneira de se proteger, mas um outro item que não pode faltar na sacola é o filtro solar. A dúvida é saber qual fator é o mais adequado para sua pele: para pessoas com a pele morena, o fator 15 é suficiente; já aquelas com pele e olhos claros, cabelo loiro ou sardas no rosto, o fator indicado deve estar entre 20 e 30. O mais correto mesmo é consultar um dermatologista para saber qual é o fator ideal para cada um. O uso deve ser repetido a cada quatro horas ou, no caso de uma exposição solar muito intensa, a cada duas horas.

Como fazer o auto-exame – Primeiro procure um local bem iluminado e, de frente ao espelho, inspecione completamente todas as partes do seu corpo. Procure por pintas, verrugas (que podem ser ou não de nascença), nódoas e crostas. Fique alerta às modificações de espessura, superfície, cor, tamanho, coceira ou sangramento. Dê especial atenção às pintas e verrugas negras.