Saldo de empregos formais soma mais de 2 milhões no governo Lula

17

Total chega a 2,4 milhões em 2010 e a 11 milhões nos dois mandatos de Lula, 14 vezes mais em relação à gestão FHC . O saldo de empregos formais em outubro chegou a 204.804 (crescimento de 0,58% sobre o estoque), terceiro melhor resultado para o mês na série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, iniciada em 1992. Com isso, o saldo no acumulado do ano chega a 2.406.210 (alta de 7,29%), resultado de de 16,397 milhões de contratações e 13,991 milhões de demissões. O saldo no período é o maior da série histórica.


O ministério prevê resultado final de 2,5 milhões este ano, o que representaria recorde do Caged. Mesmo que não atinja esse número, 2010 deverá ser o melhor ano da série, já que o atual recorde, de 2007, é de 1.617.392.


Com o resultado de outubro, a soma de vagas com carteira assinada nos dois mandatos do governo Lula (excluídos os estatutários) atinge mais de 11,1 milhões. O número supera em 14 vezes o total dos dois mandados de Fernando Henrique Cardoso (796.967). Se foram considerados os números da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), que inclui os empregos estatutários, além de temporários e avulsos, o total de empregos criados de 2003 a 2004 se aproxima dos 15 milhões (14,93 milhões).