Santander tem condições de avançar na proposta de aditivo e PPRS

9

Na segunda rodada de negociações com a Contraf-CUT, federações e sindicatos, realizada no dia 12/6, em São Paulo, o Santander trouxe avanços, mas a proposta ainda é insuficiente para a renovação do acordo aditivo à convenção coletiva dos bancários e do acordo do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS).


Enquanto na primeira reunião o banco propôs somente a manutenção do aditivo e do PPRS nos moldes atuais, desta vez se dispôs a incluir uma cláusula de igualdade de oportunidades e ampliar o número de bolsas de estudo para primeira graduação, que passariam de 2.300 para 2.500. Os dirigentes sindicais avaliaram que as propostas trazidas são positivas, mas insuficientes.

Garantia de emprego e manutenção do plano de saúde – Os representantes dos bancários reforçaram mais uma vez as principais reivindicações dos funcionários, apontadas em consulta feita pelos sindicatos que ouviram cerca de 6 mil bancários em todo País. Destacam-se a garantia de emprego, a ampliação das bolsas de estudos e a manutenção do plano de saúde durante a aposentadoria nas mesmas condições dos trabalhadores da ativa.

Venda responsável de produtos – Durante a negociação, os sindicalistas também ressaltaram a necessidade de o banco estabelecer um acordo para a venda responsável de produtos. Em pesquisa realizada pelo Sindicato de SP, os bancários relataram que muitas vezes têm de passar por cima de seus princípios, pois se veem obrigados a bater metas e oferecer produtos muitas vezes desnecessários aos clientes. O Santander alega que já pratica a venda responsável de produtos no país, mas se isso é de fato uma política do banco, então temos que estabelecê-la em acordo, tornando-a clara.

Outras reivindicações – Para garantir isonomia de tratamento aos funcionários do Santander Brasil, os trabalhadores também exigem que seja incluída no aditivo a folga ao funcionário no dia de seu aniversário, que alguns gestores já praticam. Outra reivindicação é que o prêmio de dois salários no mês em que o bancário completa 25 anos de casa, que já é uma prática do banco, também faça parte do aditivo.


Na sexta-feira, dia 15/6, o Santander Brasil tinha a terceira rodada de negociações com a Contraf-CUT, federações e sindicatos sobre a renovação do acordo aditivo à convenção coletiva dos bancários e do acordo do PPRS. Até o fechamento desta edição, não havia resultado da reunião.