SEEB/CE exige apuração de denúncias envolvendo presidente do BNB

25

Repercutem na grande imprensa as denúncias do Ministério Público sobre o desvio de recursos do Governo na construção de banheiros nos municípios de Pindoretama, Pacajus e Horizonte, no Ceará. As verbas públicas teriam sido liberadas sem licitação, para associações culturais e comunitárias fantasmas, através da Secretaria das Cidades do Estado, totalizando R$ 1 milhão e 100 mil.


A gravidade das denúncias torna-se ainda maior por envolver personalidades públicas da mais alta estirpe, como o atual presidente do BNB, Jurandir Santiago, que era o Secretário das Cidades à época das liberações; filho, nora e assessores do presidente do Tribunal de Contas do Estado, Teodorico Menezes, dentre outros.


A Contraf-CUT/CNFBNB e o Sindicato dos Bancários do Ceará, como entidades preocupadas com a transparência que deve ser adotada no manuseio do dinheiro público, cobram dos envolvidos esclarecimentos convincentes e que justifiquem conduta ética e esperam que os órgãos de fiscalização sigam em frente na apuração e divulgação final dos fatos, com a devida punição aos que comprovadamente tenham transgredido a lei e as normas que regem a condução do patrimônio público.


Por envolverem o gestor maior do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), as denúncias preocupam sobremaneira as entidades que representam os bancários, como o SEEB/CE e a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB, principalmente por ser o Sr. Jurandir Santiago bancário de carreira, funcionário da Caixa Econômica Federal, onde já ocupou elevada função de Superintendente no Estado do Ceará.


O SEEB/CE, em particular, não quer fazer julgamento precipitado, mas antecipa que, uma vez comprovadas as denúncias, não se omitirá em exigir a punição dos culpados, ainda mais se, dentre eles, estiver algum dos seus representados.