SEEB/CE lamenta morte de Edmundo, presidente do Sindicato de Alagoas

19

O Sindicato dos Bancários do Ceará lamenta o falecimento do presidente do Sindicato dos Bancários de Alagoas, Edmundo Saldanha de Omena. Aos 46 anos de idade, o presidente sofreu falência múltipla dos órgãos na manhã do último sábado, 20/8, no Hospital Arthur Ramos, em Maceió, após 30 dias de luta para se recuperar das complicações de uma cirurgia de diverticulite.


Edmundo era empregado da Caixa Econômica Federal, oriundo da antiga APEAL (Associação de Poupança e Empréstimo do Estado de Alagoas), estava em seu segundo mandato de presidente no Sindicato e representava a entidade no Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT. O velório foi realizado das 13 horas do sábado até as 10 horas do domingo, no Parque das Flores. Depois o corpo foi levado para crematório em Recife.


De acordo com Gilvan Abreu, diretor do Sindicato, há cerca de um mês Edmundo se internou para fazer cirurgia contra uma diverticulite – inflamação de um divertículo, uma espécie de pequena bolsa que se forma para fora da parede intestinal. “Depois do procedimento cirúrgico eu fui até o hospital, falei com ele, o Edmundo estava bem. Mas, quando ele ainda se recuperava, começou a ter uma série de complicações e acabou tendo que ser submetido a um coma induzido”, contou o colega.


“Nós estamos buscando conformação em Deus para suportar essa dor”, disse Maria Clara, filha de Edmundo. O SEEB/CE manifesta solidariedade à dor da família, dos amigos, da direção do Sindicato e dos bancários de Alagoas. “Edmundo era um grande amigo, um grande sindicalista. É uma perda pra família, pros amigos e uma perda também muito grande pro movimento sindical. Ele foi um guerreiro, um batalhador pelos direitos dos bancários. Convivi com ele no Comando Nacional durante três anos e, no momento de dificuldade, ele era um dos companheiros importantes de se ter ao lado para lutar junto”, lamenta o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra.


“Edmundo foi um grande companheiro de luta que muito contribuiu na organização da categoria no Nordeste e na construção da unidade nacional, liderando os trabalhadores de Alagoas com muita coragem, firmeza, determinação e garra. Ele deixa muitas saudades e exemplos de vida digna para todos nós”, afirma o amigo e presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro.


O clima entre os bancários é de comoção e muita tristeza. Eles já haviam perdido há cerca de um mês outro importante diretor do Sindicato, Walter Silva, que faleceu em virtude de uma forte crise de pancreatite.


No domingo, 14/8, o movimento sindical perdeu outra liderança o presidente do Sindicato dos Bancários do Maranhão, David Sá Barros. Vítima de uma parada cardiorrespiratória, ele morreu com 47 anos de idade e com aproximadamente 20 anos de atuação sindical.