SEEB/CE pede suspensão de homologação para revisar valores calculados a menor

17

Para preservar o direito dos trabalhadores, o Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE) solicitou à Justiça a suspensão da homologação do acordo firmado com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), visando o pagamento das indenizações referentes à ação trabalhista das folgas.


O pedido de suspensão foi motivado após constatação que a sentença do juiz determina ao Banco a indenização de dez folgas e não cinco como interpretado pelo BNB.


O SEEB/CE, através do diretor Tomaz de Aquino, procurou o Banco, tão logo constatou o equívoco, para que fosse feita a reparação do erro, mas a direção do BNB respondeu que uma nova negociação teria que começar do zero, tendo em vista o impacto financeiro causado pela nova realidade.


Com o objetivo de não perder todo o processo de negociação construído até o momento, Tomaz de Aquino, após ouvir vários beneficiários da ação, apresentou ao Banco uma sugestão de solução intermediária, consistindo no pagamento dos valores já acordados e divulgados, ficando o restante de saldo para posterior utilização como folgas.


O Banco, através da Superintendência de Desenvolvimento Humano, ficou de levar a sugestão à apreciação da Diretoria do Banco e dar uma resposta em seguida.

Tomaz de Aquino declara que está sistematicamente cobrando uma posição do BNB, para em seguida convocar assembleia para deliberação final sobre o assunto.