Segue o calendário de negociação com o Bradesco

82

As negociações entre entidades representativas dos becistas e a direção do Bradesco tiveram continuidade no dia 15/2, com pouco avanço em alguns pontos. Na ocasião, os diretores do Sindicato dos Bancários levaram uma pauta de reivindicações, que sintetiza a busca por equacionamento de algumas questões de interesse dos funcionários do BEC. Participaram da reunião pelo Sindicato, o presidente Marcos Saraiva, os diretores Telmo Nunes, Gabriel Motta, Robério Ximenes, Erotildes Teixeira, presidente da Afbec e o assessor jurídico do Sindicato, Carlos Chagas. Pelo Bradesco, o gerente de RH local, Antonio Carlos Vilar, a diretora de Relações Sindicais, Eduara Cavalheiro e o diretor de Relações Trabalhistas, José Luiz Bueno.

Sobre as horas extras, o banco irá avaliar a questão. A prática no Bradesco, segundo seus diretores é a jornada de 6 horas, sem extras. Sobre a proposta de plano de incentivo à aposentadoria, apresentada pelo Sindicato, afirmaram que o Bradesco nunca fez esse tipo de plano. No entanto, disseram que esse tema merece análise aprofundada “Mas não vendemos ilusão”, disse Bueno. A partir de março o pagamento será no penúltimo dia útil de cada mês e que “se algum funcionário tiver problemas de saldar seus débitos, o banco vai ajudar, examinando caso a caso e dando alternativas.

Sobre o plano de saúde, a Seguradora Bradesco já está estudando como incluir os ex-becistas. Sobre a Cabec, os diretores do Sindicato enfatizaram a necessidade de por fim à intervenção. “Não temos condições de adiantar nada sobre a Cabec”, anunciaram. Sobre estagiários e terceirizados, disseram que estudam o caso, e que não há determinação do RH para ninguém proceder entrevistas com esse pessoal. Quanto ao passivo trabalhista e os casos de dívidas dos funcionários ficaram para a próxima reunião, ainda sem data marcada.

Ao final da reunião, Marcos Saraiva enfatizou a necessidade de ser preservada a relação de diálogo, visando soluções para melhoria da qualidade de vida e dos empregos dos ex-becistas, hoje no Bradesco.