SEM NENHUM CRITÉRIO, BANCO REDUZ PPG

18


Os funcionários do Santander foram responsáveis, em 2018, por um excelente resultado. O lucro extrapolou a meta estipulada pela direção e o banco foi a instituição financeira que mais cresceu no país (24,6%). Diante do resultado, os trabalhadores esperavam um justo reconhecimento através do PPG (Programa Próprio Gestão).  Porém, sem critérios claros, o Santander reduziu o valor do PPG de parte dos bancários.


 O Santander utiliza um discurso baseado na meritocracia para fazer com que os seus funcionários produzam cada vez mais, muitas vezes sacrificando a própria saúde, mas na hora de valorizá-los se contradiz. Os maiores bônus, em teoria, iriam para quem produz mais. Entretanto, não é o que vem acontecendo na prática. Somente uma parte dos funcionários são elegíveis para o PPG, o que discrimina uma grande parcela dos trabalhadores, também responsáveis pelo lucro do banco.

“Cobramos do Santander que apresente quais os critérios utilizados para a redução do PPG e, principalmente, que reveja essa medida. É inadmissível que um banco utilize um discurso meritocrático e atue de forma tão arbitrária para cortar o bônus de parte dos seus trabalhadores”
Aílson Duarte, diretor do Sindicato e funcionário do Santander