Seminário de previdência complementar e saúde apontam prioridades na negociação

20

Dirigentes sindicais do Itaú de todo o País participaram nos dias 27 a 29/3 do Seminário “Previdência Complementar e Saúde”, promovido pela Contraf-CUT. O evento contou com a presença de especialistas nos temas abordados. Consultores e atuários aprofundaram a questão da previdência complementar e saúde e condições de trabalho foram abordados pelo mestre em sociologia do trabalho e médico do trabalho, Paulo Kaufmann. Representando o Sindicato dos Bancários do Ceará participaram do seminário, os diretores Ribamar Pacheco, Moacir Melo e Marcus Rôla.

A partir das exposições, os dirigentes fizeram um debate sobre as especificidades do Itaú, tirando como orientação para a organização nacional a busca de negociações com o banco para a formulação de um novo plano de aposentadoria fechado, com participação de todos os funcionários não enquadrados no atual PAC (Plano de Aposentadoria Complementar). Com relação à saúde e condições de trabalho, foi debatido o descaso do banco para com a segurança bancária, o programa de gestão de RH e a violência organizacional viabilizada por meio do AGIR, programa de metas do Itaú.

No dia 30/3 em São Paulo a Comissão de Empresa dos Funcionários do Itaú (COE-Itaú) reuniu-se com a representação do banco para dar continuidade ao processo de negociação permanente, sendo debatidos os problemas dos funcionários do BankBoston, dentre eles os que têm jornada de 8h e que ocupam cargo de chefia e que até o momento não foram chamados para realizar cursos de capacitação. O banco afirmou não existir nenhuma discriminação e que os mesmos deveram participar quando necessário de algum curso de capacitação.

Ficou ratificado que o banco irá pagar neste ano de 2007 a PCR – Participação Complementar nos Resultados, ficando a definir os indicadores e valores. Também na mesa foram discutidas as demissões por justa causa ocorridas em 2006 que somaram um total de 143 em nível nacional. A COE reivindica do banco maiores esclarecimentos e uma estância na qual os funcionários envolvidos tenham a oportunidade de apresentar suas defesas.

Para o diretor do Sindicato e representante da Fetec/NE na Comissão de Empresa do Itaú, Ribamar Pacheco, “o seminário de previdência complementar e saúde foi um fórum de capacitação dos dirigentes sindicais do banco Itaú, que teve como objetivo prepará-los para que façam o debate com mais subsídios junto às suas respectivas bases sindicais.”