Seminário discute diagnóstico e combate ao assédio moral

41

       

O Sindicato dos Bancários do Ceará promoveu, na sexta-feira 6/5, o Seminário sobre Assédio Moral, cujo tema foi “Diagnóstico e Combate ao Assédio Moral”. O evento aconteceu no Ponta Mar Hotel e teve a presença de dirigentes e funcionários de diversas entidades além da categoria bancária. A programação ocorreu das 8h às 16h e contou com o lançamento do Manual Sindical de Prevenção e Combate ao Assédio Moral.


Para dar início ao evento foi realizada uma rápida apresentação sobre o assunto, que contou com a palavra dos seguintes participantes: Ilton Moreira, representante da vereadora Eliana Gomes; Jussara Galvão, representante do senador Inácio Arruda; Inácio Carvalho, representante do deputado federal Chico Lopes; o deputado federal Artur Bruno; Antônio Bandeira, representante do deputado federal José Guimarães; Plínio Pavão, representante da Contraf-CUT; Daniel Oliveira, representante do Secretário do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins; Papito de Oliveira, Superintendente Regional do Trabalho; Roberto Luque, Secretário de Saúde da CUT; Ailson Duarte, representante da CTB; Eugênio Silva, diretor do SEEB/CE e Secretário de Saúde da instituição; Carlos Eduardo Bezerra, presidente do SEEB/CE e Gustavo Tabatinga, diretor do SEEB/CE.

HISTÓRIA DE LUTA E CONQUISTA – O seminário foi dividido em dois momentos. Pela manhã, foi realizado o painel I, com as palestras da Dra. Rose Cavalcante, mestre em Psicologia, com o tema “Assédio Moral na Atualidade” e de Plínio Pavão, Secretário de Saúde da Contraf-CUT, com o tema “História, Luta e Conquista da Cláusula de Assédio Moral dos Bancários”. Durante o período da tarde, foi realizado o painel II, com os palestrantes Dra. Regina Maciel, Mestre em Ergonomia e Assessora do SEEB/CE, falando sobre diagnóstico e combate à prática, e José Barberino, Secretário de Saúde do Sindicato dos Bancários da Bahia, falando sobre a experiência do combate ao assédio moral no estado.


O evento estabeleceu um diálogo entre a teoria acadêmica e a prática sindical sobre o assédio moral para que a sociedade tenha uma maior compreensão da situação e adquira condições de defesa contra a prática. De acordo com uma pesquisa recente, realizada em nível nacional entre os bancários, o assédio moral é um dos problemas que mais afetam a categoria. “A ideia é fazermos uma discussão de como diagnosticar e combater o assédio moral”, explicou Eugênio Silva, diretor e secretário de saúde do SEEB/CE. “Ao realizar o evento, a categoria bancária contribui no esclarecimento da sociedade pra uma das maiores mazelas da categoria bancária que se espalha de uma forma muito preocupante pelos vários setores da economia, com reflexos deletérios à saúde trabalhadora”, afirmou o presidente Carlos Eduardo, lembrando ainda que a temática da saúde é trabalhada há algum tempo pelo Sindicato e é um dos eixos específicos da campanha nacional dos bancários.

SEMINÁRIO ABERTO À SOCIEDADE – Segundo Eugênio Silva, o evento é de extrema importância para os bancários e se torna mais significativo por ser aberto para toda sociedade. “Não é interessante que essa luta aconteça de forma isolada. Não é interessante que o Sindicato faça um movimento totalmente fechado. É importante que leve para toda sociedade e que a gente possa banir essa problemática em todos os segmentos”, disse o diretor, apontando que estavam presentes no evento representantes de vários sindicatos, de bancos e de diversas instituições, como INSS e Correios.


O deputado federal Artur Bruno reforçou o assédio moral como um dos grandes problemas da classe trabalhadora, saudou a iniciativa do Sindicato e destacou a necessidade das categorias serem solidárias entre si. “O Sindicato dos Bancários do Ceará tem uma tradição que de fazer debates e elaborar políticas públicas não apenas para bancários, mas para outras categorias. Nós temos que encontrar soluções e ser rigorosos no cumprimento da lei. É muito importante essa atividade porque ela é ampla, convoca a classe trabalhadora do Ceará a discutir e encontrar meios de evitar o assédio moral no trabalho”, disse.