Seminário Nacional reforça luta pelos empregos e direitos dos funcionários

33

A luta para conquistar garantia de emprego por três anos foi reforçada pelo Seminário Nacional dos Dirigentes Sindicais do Santander e Real, promovido pela Contraf-CUT e encerrado na última sexta-feira, dia 5/9, em São Paulo. Os 95 participantes de todo o País definiram um conjunto de propostas para organizar os funcionários dos dois bancos e dialogar com a sociedade. Pelo Ceará, participaram os diretores do Sindicato Eugênio Silva e Carlos Titara.


Mario Raia, coordenador da COE Santander da Contraf/CUT, comemorou a abrangência do encontro. “Houve uma troca de conhecimento importante e creio que os dirigentes saíram motivados para lutar e defender os direitos dos trabalhadores nesse processo de fusão”, avalia.


A defesa do emprego é prioridade. Desde 2000, quando o Santander adquiriu o Banespa, mais de 22 mil empregados já foram demitidos. É como se um banco inteiro tivesse sido fechado e os bancários mandados embora. Na defesa da garantia de emprego e da manutenção dos direitos dos funcionários da ativa e aposentados, os dirigentes sindicais planejaram diversas ações integradas, com reuniões nos locais de trabalho, plenárias estaduais, campanhas de mídia, jornal unificado e um novo encontro nacional em outubro, combinado com a vinda do acionista majoritário do Santander, Emílio Botin.


O objetivo das ações é intensificar a mobilização e forçar negociações para obter conquistas. Também serão retomadas as atividades com os parlamentares em Brasília, a exemplo da jornada nacional de luta em 2007, para que também pressionem o banco espanhol.


“Foi unanimidade entre os participantes do Seminário a luta pela garantia do emprego em função da fusão, assim como é garantido aos bancários europeus. Temos os mesmos direitos, afinal somos funcionários da mesa instituição”, afirmou o diretor do Sindicato, Eugênio Silva.

Aditivo prorrogado – O Santander prorrogou a validade do aditivo à convenção coletiva até o dia 30/9. Agora, as entidades sindicais vão iniciar as negociações da pauta específica de reivindicações, visando a renovação do aditivo e a sua extensão aos empregados do Real. A minuta foi entregue no último dia 14/8 para o banco.