Sindicato à frente das articulações para reintegrar demitidos por Byron

13

O Sindicato dos Bancários do Ceará mantém, em Brasília, assessoria permanente para articular-se com parlamentares responsáveis pela apreciação do Projeto de Lei 343/2007, de autoria do então deputado federal Inácio Arruda, hoje senador cearense pelo PC do B.


O PL trata da reintegração dos demitidos na gestão Byron Queiroz, tramita atualmente na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara Federal, onde já recebeu parecer favorável do relator, deputado André Vargas, do PT do Paraná. É o que informa Heider Vasconcelos, da Comissão dos Demitidos do BNB, responsável em nível do Sindicato, pelo acompanhamento do trâmite do projeto e pelas articulações realizadas na Câmara em prol da aprovação do PL.


Heider Vasconcelos viaja semanalmente à Brasília, com custeio integral do Sindicato dos Bancários do Ceará, para contato com parlamentares e autoridades do Governo. Recentemente, ele esteve em audiência obtida pelo deputado federal Eudes Xavier (PT/CE), com o secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Machado. Na ocasião foram apresentados argumentos que demonstram não ter o PL qualquer impacto financeiro no Orçamento da União. “Esse convencimento junto ao Ministério da Fazenda acaba com qualquer obstáculo técnico ao Projeto, restando apenas trabalhá-lo politicamente”, afirma Heider Vasconcelos.


Demitido por Byron Queiroz juntamente com mais cerca de 600 funcionários do BNB, Heider Vasconcelos, que é advogado, informa que o passo seguinte agora é trabalhar junto ao presidente da Comissão de Finanças e Tributação, deputado Vignatti (PT/SC), para colocar o PL na pauta de votação.


O Projeto de Lei 343/2007, que trata da reintegração dos demitidos do BNB, foi aprovado por unanimidade na Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público, “o que mostra a consistência do Projeto e aponta na perspectiva de êxito”, declara o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contra-CUT) e diretor do SEEB/CE, Tomaz de Aquino.