Sindicato apoia reeleição de Rafael Matos ao Conselho de Administração do BB

8


Os 112 mil funcionários da ativa do Banco do Brasil vão às urnas entre 2 a 6 de fevereiro para eleger pelo voto direto seu representante ao Conselho de Administração da empresa, o Caref. Conquista do movimento sindical, é a segunda eleição para a instância máxima de deliberação do BB desde que a representação do funcionalismo no Conselho foi reinstaurada em 2010, no governo Lula.


O Sindicato dos Bancários do Ceará, bem como a Contraf-CUT, seguindo a grande maioria de suas federações e seus sindicatos filiados em todo o Brasil, apoia a reeleição de Rafael Matos, matrícula F8369846, por considerar que ele já provou que é quem reúne as melhores condições de levar até a alta direção do BB a voz do funcionalismo e defender no colegiado de decisões estratégicas do banco a visão dos funcionários.


Melhorar as relações de trabalho – A relação do banco com os funcionários está muito ruim. Precisa deixar de ser autoritária e se pautar pela transparência, pelo respeito e pelo reconhecimento ao esforço de todos os que constroem o banco. O Sindicato dos Bancários do Ceará acredita que Rafael continuará defendendo, no Conselho de Administração, melhorias nas relações de trabalho, combaterá o assédio moral e as metas abusivas e defenderá maior participação das mulheres nos cargos diretivos.


“A nossa candidatura representa um projeto coletivo, em sintonia com os sindicatos, em defesa dos interesses dos funcionários. Fui o primeiro representante eleito no Conselho de Administração com esse compromisso. A despeito de uma série de limitações no primeiro mandato – até por ser o primeiro – eu procurei fazer um trabalho intensivo de visitas às agências, me posicionando contra a terceirização, exigindo do banco garantias quanto ao processo de reestruturação, lutando contra o esvaziamento da região Nordeste em termos de negócios, debatendo a questão do emprego e da necessidade de mais contratações, entre outras demandas”, explica Rafael. Atuando sempre de maneira transparente, ele enfatiza que criou ainda um site para prestação de contas do mandato.


Segundo Rafael, é preciso avançar na discussão do orçamento. “Precisamos construir um modelo de elaboração do orçamento mais participativo e que observe a realidade de cada localidade. Da forma como está hoje, acaba fazendo com que as metas desçam absolutamente fora da realidade de cada local. Essa é uma bandeira muito importante que temos condições de ampliar. É preciso envolver o funcionalismo nesse debate para discutirmos o Banco do Brasil que queremos – importante no desenvolvimento do País, na inclusão social, com seu papel público fortalecido e principalmente, um banco que valoriza seus funcionários”, finaliza.


O que é o Caref – O Conselho de Administração do Banco do Brasil é composto de sete membros: três indicados pelo governo federal, o presidente do banco, dois indicados pelos acionistas minoritários (que hoje são nomeados pela Previ) e um eleito pelos funcionários. A eleição é uma conquista das centrais sindicais. A Lei 12.353/2010 determina que toda empresa pública ou de economia mista com mais de 200 empregados, controlada pela União, deve ter um representante dos funcionários no seu Conselho de Administração, escolhido pelo voto direto. Participam da disputa deste ano 147 candidatos. Caso nenhum deles consiga a maioria dos votos, haverá segundo turno entre 2 a 6 de março, com os dois concorrentes mais votados.


“Precisamos ter uma representação no Conselho de Administração do Banco do Brasil que entenda a importância dos trabalhadores e que tenha compromisso com o diálogo e com o projeto de transformação da sociedade. Nós entendemos que a candidatura de Rafael Matos representa esses valores. Temos de ter um representante vinculado aos trabalhadores. Não podemos eleger candidatos da tecnocracia do Banco do Brasil. E a candidatura de Rafael Matos é uma candidatura do projeto de defesa do funcionalismo”.

Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará